Premier League

Vinte minutos bastaram para o City detonar o Southampton, em show de Agüero e Sterling

Há dias em que o Manchester City joga por música. Foi assim que a torcida no Estádio Etihad pôde aplaudir o recital de seu time, senhor da partida contra o Southampton. A disparidade entre os clubes é evidente, seja pela capacidade financeira ou pela qualidade técnica. E ela se torna ainda maior quando os jogadores celestes entram em campo com tamanho ímpeto. O início do jogo serviu para abrir o caminho, em goleada que terminou com o placar favorável de 6 a 1 aos anfitriões. David Silva e Leroy Sané tiveram grande participação, embora a atuação de gala tenha sido compartilhada por Sergio Agüero e Raheem Sterling, letais na linha de frente.

O Manchester City entrou em campo decidido a resolver a partida. Não demorou para cumprir a sua missão. Com mais de 80% de posse, os celestes amassavam o Southampton. Tocavam a bola no campo de ataque, enclausuravam os visitantes e logo apertavam a marcação todas as vezes que perdiam a posse. Assim, os gols saíram rapidamente. O primeiro veio aos seis minutos, em cruzamento de Sané que Wesley Hoedt mandou contra as próprias redes. Aos 12, a boa tabela pela direita permitiu que Raheem Sterling chegasse à linha de fundo, cruzando a Agüero. Já aos 17, o terceiro nasceria em uma ótima trama na área dos Saints, com a bola sobrando para David Silva encher o pé. Os Citizens jogavam com uma facilidade imensa, botando os visitantes na roda.

Vantagem estabelecida, o City diminuiu um pouco o ritmo. E o Southampton conseguiu descontar. Danny Ings foi lançado em profundidade e Ederson saiu precipitadamente do gol, cometendo o pênalti. Na cobrança, o jogador emprestado pelo Liverpool converteu. Ainda controlando o jogo, os Citizens só não eram tão agressivos. Inclusive, um lance simbólico ocorreu na área adversária: em bola que os celestes giravam com facilidade, faltava apenas o espaço para conseguir concluir da melhor maneira. A capacidade de passar se resumia ali. Já nos acréscimos, veio o quarto. Ataque rápido no qual David Silva e Agüero tabelaram. O argentino quase perdeu a bola, mas recuperou na linha de fundo e cruzou para Sterling. Mesmo vacilando num primeiro momento, o inglês balançou as redes.

O segundo tempo estava condicionado como um jogo-treino. Os Citizens atacavam com velocidade e exploravam os espaços. Já o Southampton tentava manter a sua honra, arriscando-se mais no ataque, mas parando nas defesas seguras de Ederson. O quinto gol saiu aos 22 minutos, mais uma vez com Sterling, recebendo a enfiada de Agüero e batendo por baixo do goleiro. Por fim, Sané ganhou o seu prêmio. O alemão já tinha acertado a trave e definiu o marcador nos acréscimos. Contragolpe com a defesa aberta, puxado por Phil Foden. Sterling passou e Sané, depois de cortar o zagueiro, mandou no canto.

O Manchester City termina a rodada isolado na liderança, graças ao empate do Liverpool na visita ao Arsenal. O time de Pep Guardiola chega aos 29 pontos, dois a mais que os Reds. A defesa dos celestes é a menos vazada, com quatro gols sofridos. Enquanto isso, o ataque soma 33 tentos, já oito a mais que o segundo melhor. O Southampton, mais uma vez candidato ao rebaixamento, é o 16°, com sete pontos.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo