Premier League

Vai ter dancinha, sim! Gabriel Jesus baila e Arsenal detona o Brentford

Gol do brasileiro encaminhou o triunfo que devolveu a liderança aos Gunners

Alô, mãe? O Arsenal está de volta na parada. Novamente líder da Premier League, o time de Mikel Arteta não tomou conhecimento do Brentford e amassou os adversários fora de casa neste domingo (18). O placar de 3 a 0 teve de tudo, até dancinha de Gabriel Jesus e estreia de um garoto de 15 anos.

Apesar das recentes partidas complicadas contra os grandes, o Brentford não mostrou muita resistência diante da sensação dos Gunners. Com pouco tempo de jogo, ficou claro que o Arsenal mandava no campo e precisaria apenas de algumas chances para construir o placar desejado. Aos 16 minutos, em jogada de escanteio, Bukayo Saka ergueu na área e William Saliba cabeceou no ângulo. A testada foi de raspão, mas serviu para vencer o goleiro David Raya.

Em outra cabeçada, agora de Jesus, o Arsenal ampliou. A bola primorosa foi de Granit Xhaka, que cruzou na diagonal para encontrar o camisa 9 em boa posição. Pá-pum, situação controlada. Gabriel comemorou fazendo o seu já famoso “Alô, Mãe”, antes de emendar uma dancinha em homenagem a Vinícius Júnior. Ninguém pareceu se ofender com o gesto, diga-se.

Já estava tudo quase perfeito para o Arsenal. Melhor ainda quando Fábio Vieira fechou a conta, no comecinho da segunda etapa, permitindo que Arteta pudesse mexer bastante no time e tirar o pé do acelerador. O português teve toda a calma para preparar o chute e colocou no canto da meta de Raya, em um golaço.

Mais relaxado e sem dar muito espaço ao Brentford, o Arsenal não foi incomodado até o fim. Nos minutos derradeiros, Arteta promoveu a estreia de Ethan Nwaneri na vaga de Vieira, e a entrada de Marquinhos no lugar de Saka. A troca marcou um recorde: Nwaneri, que tem 15 anos e 181 dias, se tornou o atleta mais jovem a atuar pela Premier League. Só faltou um pouco mais de tempo que ele tivesse tempo para fazer qualquer coisa.

Irresistível, a equipe de Arteta volta à liderança, ultrapassando o Manchester City. Depois da derrota diante do Manchester United, era necessário dar uma resposta de qualidade. Versátil, agressivo e demonstrando segurança quando está em vantagem, esse Arsenal larga bem e parece ter muitos dos elementos necessários para um campeão. Resta saber se terá o principal deles: a regularidade para combater um City que via de regra marca mais de 90 pontos em suas campanhas.

Foto de Felipe Portes

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes
Botão Voltar ao topo