Premier League

Um dos seus tão contestados zagueiros foi decisivo na vitória que devolve o Liverpool ao G4, a uma rodada do fim

Nat Phillips fez um gol e cortou uma cabeçada em cima da linha, essencial também para manter um saldo de gols robusto para a última rodada

Na temporada em que o Liverpool perdeu seus três principais e únicos zagueiros por lesão, e depois perdeu também as reposições contratadas em janeiro e uma das improvisações que vinha quebrando o galho, um dos sobreviventes da posição teve atuação decisiva no jogo que o colocou de volta à zona de classificação da Champions League, a uma rodada do final, após a vitória por 3 a 0 sobre o Burnley nesta quarta-feira.

Virgil Van Dijk foi a primeira baixa, ainda em outubro. Joe Gomez ficou fora de ação em novembro, e Joel Matip, em janeiro. O Liverpool contratou Ozan Kabak na janela de inverno, fora das cinco rodadas finais do Campeonato Inglês, com um problema muscular, e Ben Davies, que também teve problemas físicos e sequer estreou. Jordan Henderson vinha sendo improvisado na defesa, mas está fora de ação desde fevereiro. Como Fabinho retornou ao meio-campo, o jeito foi apostar mesmo nas categorias de base: Nat Phillips e Rhys Williams foram a dupla de zaga nas últimas quatro rodadas.

E tem sido uma montanha-russa de emoções. Por um lado, o Liverpool ganhou todos esses jogos, arrancada vital para, na prática, depender apenas de uma vitória contra o Crystal Palace no próximo fim de semana para garantir vaga na Champions League. Por outro, também foram responsáveis por alguns sustos. Contra o Burnley, porém, Phillips foi decisivo ao marcar o segundo gol e cortar uma bola em cima da linha.

O Liverpool talvez vencesse sem as ações importantes de seu zagueiro de 24 anos que, em 2016, quase trocou o futebol europeu por uma bolsa na Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, quando acabou sua formação no Bolton. Mas, como o quarto lugar pode muito bem ser decidido no saldo de gols, Phillips garantiu pelo menos dois a mais para o seu time.

O Liverpool está em quarto lugar no momento, primeira vez no G4 desde a 23ª rodada, empatado em pontos com o Leicester. Mas tem quatro gols de vantagem no saldo. Logo, se vencer o Crystal Palace pelo placar mínimo na rodada final, o Leicester teria que ganhar do Tottenham por cinco gols de diferença para superar o Liverpool nos gols marcados – estão atualmente empatados em 66 para cada lado.

Por isso foi tão importante ter vencido por um placar amplo e sem sofrer gols, o que não foi uma certeza ao longo de uma partida em que o Liverpool oscilou de desempenho e, embora tenha perdido muitos gols, também cedeu oportunidades demais ao Burnley, apenas cumprindo tabela até o fim da Premier League.

Sadio Mané apareceu na boca do gol para completar um chute de Alexander-Arnold, que havia desviado no meio do caminho, mas mandou para fora. A primeira boa chegada dos visitantes. Aos 27 minutos, Alisson e companhia deram sorte: Chris Wood saiu nas costas da defesa para encontrar um lançamento do meio-campo e, cara a cara, errou feio a finalização. O Liverpool respondeu com uma boa trama entre Thiago e Salah, mas o meia mandou seu chute cruzado para fora. Salah teve outra chance clara, dominando na intermediária e arrancando em diagonal. Mandou por cima.

Alisson fez uma boa defesa para frustrar a batida forte de McNeill da entrada da área, e o Liverpool quase abriu o placar com um lance entre seus dois contestados zagueiros. Robertson recolheu pela esquerda e cruzou na segunda trave. Rhys Williams ajeitou de cabeça, Phillips matou com o corpo e encheu o pé – também por cima.

O alívio vermelho saiu a minutos do fim do primeiro tempo, quando Mané abriu com Robertson, que cruzou rasteiro para a marca do pênalti, onde Firmino apareceu para completar de primeira. Assim que o jogo foi retomado, a vitória ficou um pouco mais garantida, com um ótimo cruzamento de Mané para Phillips cabecear com firmeza.

Decisivo na frente, Phillips também o foi na defesa, aos 24 minutos, ao cortar em cima da linha a cabeçada de James Tarkowski, que tinha endereço certo. No fim, Alex Oxlade-Chamberlain entortou Charlie Taylor dentro da área antes de fazer 3 a 0, com uma batida rasteira, e dar ao Liverpool uma boa gordura para confirmar sua vaga na Champions League no próximo domingo.

.

.

Standings provided by SofaScore LiveScore

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo