Premier League

Tottenham vence mais uma: há vida sem Kane, mas ela não passa por Richarlison

O Tottenham mostrou que há vida sem Harry Kane com um incrível poder coletivo para vencer o Bornemouth, mas novamente Richarlison foi mal demais

O Tottenham venceu o Bornemouth por 2 a 0, abrindo a rodada deste sábado (26) na Premier League. Ótimo resultado para o clube londrino, que se mantém invicto na competição com 7 pontos em três rodadas conquistadas. Um desempenho acima do que se esperava de um time que perdeu sua maior referência nos últimos muitos anos, mas, mesmo assim, começa a temporada desempenhando bem e dando alguma esperança para seu time. Mesmo que, cada vez mais, fique provado que não vai ser com o brasileiro Richarlison que o Spurs se esquecerá de seu lendário artilheiro.

Não que os gols estejam em falta ou que a camisa 10, que Kane usava, esteja mal representada: James Maddison, novo portador do número, foi o melhor em campo e autor de um dos gols que deu a vitória ao Tottenham. Seu gol, logo aos 17 minutos do primeiro, inclusive, dá mostrar de como deve se portar o Spurs nessa próxima temporada, um time muito baseado na força e inteligência de seu meio-campo. E Maddison vai ter papel fundamental disso.

Meio-campo é o destaque de um organizado Tottenham

Se o comando de ataque do Tottenham ainda é uma incógnita para Ange Postecoglou neste começo de temporada após a saída de Kane, é mais do que fato de que essa nova equipe passa por um meio de campo completamente organizado, rápido na saída de bola, com volantes ótimos na saída de bola e tudo girando em torno de um criativo Maddison. Parece ser uma receita que tem tudo para dar certo.

Maddison, inclusive, ficou bem à vontade com a camisa que outrora foi de Kane e cada vez mais se mostra uma barganha — o Spurs pagou 40 milhões de libras para tirá-lo do Leicester, nesta temporada um time de segunda divisão. Ao receber bola do também ótimo Pape Matar Sarr, ele fez seu nono gol como visitante nas últimas 20 partidas nas quais atuou fora de casa pela Premier League, seja por Tottenham ou Leicester. Ele ainda soma outras nove assistências nessas partidas, totalizando 18 participações nestas duas dezenas de partida.

Essa intensidade toda no meio-campo, de um time bastante organizado, possibilita ao Tottenham ter um ataque extremamente coletivo e poderoso. Quatro jogadores foram destaques nesse esquema contra o Bornemouth: os alas Pedro Porro, pela direita, e Destiny Udogie, pela esquerda, além dos pontas Heung-Min Son, como sempre, e Dejan Kulusveski. Eles foram essenciais na variação da construção de jogada, o que gerou o segundo gol, que fechou o placar, já na segunda etapa.

Mas nem tudo são flores: o que o Tottenham fará com Richarlison?

A vitória fora de casa contra o Bornemouth dará ao Tottenham a liderança da Premier League por pelo menos algumas horas e foi um alívio ao torcedor, que viu vida nesse Spurs após a saída de Kane. Há variação de jogadas, há um meio de campo robusto, há pontas e laterais que constroem e participam ativamente das movimentações de ataque. Mas não há um homem-gol de confiança e Richarlison não será esse jogador ao que vem sendo mostrado.

O brasileiro de novo foi mal e não conseguiu partipar de nenhum gol, não fez nenhuma jogada lá muito marcante e, você vai reparar, foi o único jogador do Tottenham citado neste texto de maneira negativa. Porque ele foi basicamente o único jogador dos visitantes que foi mal, numa vitória onde tudo foi tranquilo e havia espaço para o Pombo, pelo menos, tirar a zica com um golzinho.

Mas o que fica para ele desse jogo é provavelmente um meme que vai rodar a internet como GIF nas próximas discussões sobre Richarlison. Logo no começo do segundo tempo o brasileiro recebeu bola enfiada e tinha, sozinho, espaço para puxar um contra-ataque. O Tottenham vencia por apenas 1 a 0 e um gol ali fecharia o placar, como acabou acontecendo minutos depois. Mas Richarlison escorregou de joelhos e matou a jogada. Saiu menos de dez minutos depois.

Esperemos um bom e coletivo Tottenham nesta temporada

Apesar de não ter mais Kane, o Tottenham parece ainda conseguir ser um time bem decente e deve disputar vaga nas competições europeias de maneira tranquila. Quando Richarlison saiu, com cerca de 15 do segundo tempo, Son assumiu uma condição de principal atacante, mas foi interessante ver que Maddison e Kulusevski podem também fazer a função de definição quando necessário.

Um 2 a 0 bom e que deixa a esperança de um time extremamente coletivo, organizado e que sabe variar suas chances de criação. Precisa, no entanto, se mover no mercado, nessa última semana que resta, para tentar trazer um centroavante. As variações que Postecoglou já dá ao time, principalmente pelo volume de jogadas criativas e ofensivas que o Tottenham tem criado. Mas um definidor vai fazer falta, Richarlison não é e não deverá ser esse jogador. Há muita vida sem Kane no Tottenham, mas ela não passa por Richarlison.

Foto de Leonardo Sacco

Leonardo Sacco

Formado em Jornalismo pela Cásper Líbero, fez categorias de base na TV Gazeta, Olheiros e Impedimento. Se profissionalizou no Yahoo e desde junho de 2023 é coordenador de conteúdos editoriais da Trivela.
Botão Voltar ao topo