Premier League

Torcida do Liverpool retornou à Premier League em vitória sobre o Burnley – e os lançamentos fantásticos de Van Dijk também

No primeiro jogo com arquibancadas cheias desde o título inglês, o Liverpool venceu por 2 a 0, com destaque também para Harvey Elliott e Tsimikas

A ausência de Van Dijk na última temporada prejudicou, claro, a defesa do Liverpool, mas também deixou o time de Jürgen Klopp com um recurso a menos para chegar ao ataque porque são poucos os zagueiros que conseguem atravessar o campo inteiro com um lançamento como ele fez neste sábado na vitória por 2 a 0 sobre o Burnley, o primeiro jogo com Anfield cheio desde o título inglês dos Reds e o começo da pandemia.

O lançamento de Van Dijk morreu no peito de Harvey Elliott, que mal havia completado 16 anos quando estreou pelo Fulham em 2018 e se tornou o jogador mais jovem a disputar a primeira divisão da Inglaterra. Agora com 18, após um proveitoso empréstimo ao Blackburn, foi mantido no elenco para ser uma opção de meio-campo, desfalcado pela saída de Georginio Wijnaldum. Titular pela primeira vez na Premier League, Elliott se destacou pela direita do meio-campo.

Jordan Henderson fez o seu primeiro jogo pelo Liverpool desde fevereiro, e Kostas Tsimikas começou na lateral esquerda novamente. Andrew Robertson está lesionado, e o grego, em sua segunda temporada no clube inglês, está tendo sua primeira boa sequência. Após fazer um grande jogo contra o Norwich na estreia, foi bem novamente e abriu os trabalhos com um cruzamento perfeito para Diogo Jota abrir o placar aos 18 minutos de um primeiro tempo mais movimentado.

O Burnley foi mais perigoso na etapa inicial. Alisson precisou fazer boa defesa para bloquear uma cabeçada de Chris Wood na primeira trave, após cruzamento de Dwight McNeill, o mais criativo jogador dos visitantes, e Salah chegou a ampliar para 2 a 0, mas estava impedido. Foram 13 finalizações antes do intervalo, dez do Liverpool, mas apenas duas no alvo. Além do gol, Salah mandou um chute no canto para boa defesa de Pope.

Os visitantes tiveram alguns minutos bons no segundo tempo também, e chegaram a ter um gol anulado, mas o Liverpool foi pouco a pouco criando chances de gol até ampliar. McNeill frustrou Salah em cima da linha, Pope mandou a batida de Mané para escanteio e, aos 24 minutos, Van Dijk quebrou todas as linhas do Burnley com um lançamento da esquerda para a direita. Elliott matou no peito e deixou com Arnold, que emendou de primeira para Mané chutar rasteiro e com firmeza.

Uma vitória relativamente tranquila do Liverpool, com Van Dijk se destacando nos dois lados do gramado, os laterais participando dos gols e a torcida vibrando nas arquibancadas. Como nos velhos tempos.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo