Premier League

Premier League pode ter criado solução para evitar cera dos gandulas

Para evitar perda de tempo, a Premier League adotou uma nova regra para os gandulas - e o Brasileirão pode aprender com isso

Desde que o futebol é futebol, a cera é um tema recorrente. Deixar o relógio correr para segurar um resultado positivo é algo quase cultural, principalmente na América do Sul. E até mesmo os gandulas têm papel fundamental nisso.

Quem nunca viu a bola sumir num tiro de meta ou cobrança de lateral no final de uma partida? Apesar de ser comum, o antijogo é contra as regras. Para solucionar esse problema, a Premier League pode ter criado uma solução.

Os ingleses instruíram seus gandulas a pararem de repor a bola diretamente para os jogadores, o que possibilitava eles acelerarem ou diminuírem o ritmo de jogo com base nos interesses do time da casa.

Como noticiado inicialmente pela PL Brasil, a Premier League ordenou que seus gandulas colocassem as bolas em cones espalhados pelas laterais do campo atrás das placas de publicidade.

Foto: (IconSport) - Premier League instruiu os gandulas a colocarem as bolas em cones
Foto: (IconSport) – Premier League instruiu os gandulas a colocarem as bolas em cones

Quando a bola sai das quatro linhas, os próprios atletas vão até esses pontos, pegam as bolas em cima dos cones e reiniciam a partida sem a intervenção direta dos gandulas.

Aqui cabe ressaltar que a nova regra foi adotada pela Premier League no meio da temporada 2023/24, após um incidente que envolveu um jogador apressado e um gandula menor de idade.

Premier League mudou o papel dos gandulas após incidente

O caso aconteceu no dia 26 de dezembro de 2023, quando Bournemouth e Fulham se enfrentaram no Validity Stadium, pela 19ª rodada da Premier League.

Naquele momento, os Cherries já venciam o jogo por 2 a 0, na etapa final. Apesar disso, os Cottagers ainda estavam vivos na partida e tentavam buscar (pelo menos) o empate.

Bern Leno, goleiro do Fulham, queria cobrar um tiro de meta rápido. Só que um dos gandulas – que tinha apenas 14 anos – estava segurando a bola, o que irritou o alemão.

Enfurecido, o alemão então empurrou o jovem gandula e deu reinício ao jogo. Apesar da atitude do goleiro, o Bournemouth ficou com a vitória por 3 a 0.

Com os ânimos mais calmos, Leno pediu desculpas à criança após o apito final. Já a Football Association (FA) e a Premier League não puniram o arqueiro por empurrar o gandula.

Para evitar que a cena se repetisse, os ingleses passaram os próximos meses discutindo o papel dos gandulas no país, até que em março, a Premier League instaurou a norma dos cones.

A tendência é que a medida continue em vigor em 2024/25, servindo de modelo para outros países. Até mesmo o Brasil pode se inspirar com a experiência da Premier League para evitar a cera nos jogos.

Foto: (IconSport) - O uso de cones poderia influenciar positivamente o futebol brasileiro no combate ao antijogo
Foto: (IconSport) – O uso de cones poderia influenciar positivamente o futebol brasileiro no combate ao antijogo

Assim como acontece no resto do mundo, o futebol brasileiro sofre com momentos de antijogo, inclusive com ações polêmicas dos gandulas a favor dos mandantes.

Agora, resta saber se a CBF está disposta a alterar a interação dos gandulas com os jogadores no Brasileirão.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus CristianiniRedator

Jornalista formado pela Unesp, com passagens por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia. Na Trivela, é redator de futebol nacional e internacional.
Botão Voltar ao topo