Premier League

O United não precisou se esforçar tanto contra o West Ham, em vitória que tranquiliza ainda mais sua situação

A rodada de domingo na Premier League seria fechada por um jogo importante ao topo da tabela. O Manchester United vinha de peito inflado pela vitória no dérbi, mas teria um visitante duro em Old Trafford, considerando a excelente campanha do West Ham. No entanto, os Hammers ficaram devendo bastante desta vez. O time de David Moyes fez uma partida fraca, em que se prendeu demais na defesa e pouco ofereceu no ataque. Melhor ao United, firme na segunda colocação. Os Red Devils dependeram de um gol contra ao triunfo por 1 a 0, mas foram claramente melhores, com Fabianski evitando um placar mais elástico.

A partida em Old Trafford começou disputada, com duas equipes tentando construir seu jogo, mas poucas emoções de fato. Com o passar dos minutos, o Manchester United se estabeleceu e passou a empurrar o West Ham para o campo de defesa. A partir dos 25 minutos, as chances pintaram aos Red Devils, especialmente com Mason Greenwood. Um ótimo cruzamento do garoto não foi aproveitado por Marcus Rashford, enquanto Lukasz Fabianski também frustraria as tentativas de Greenwood, com direito a uma defesaça aos 37. O polonês desviou o chute rasteiro com a ponta dos dedos e ainda viu ela tocar a trave. O goleiro era o grande responsável pelo zero no placar, diante da superioridade do United.

O segundo tempo recomeçou com o West Ham ainda contido, sem apresentar qualquer disposição para assumir os riscos. E os londrinos pagariam o preço com o gol da vitória do Manchester United, anotado aos oito minutos. Bruno Fernandes cobrou um escanteio fechado e Craig Dawson desviou de cabeça contra as próprias redes. Só então os Hammers tomariam uma atitude, despertando e saindo para buscar o ataque.

Apesar da mudança de postura do West Ham, o Manchester United também seguia com seus espaços. Aos 15, de novo Fabianski apareceu, se esticando para rebater o chute de Bruno Fernandes. Ainda assim, os Hammers propunham mais que antes e causavam incômodo no campo de ataque, mesmo sem serem tão efetivos quanto os Red Devils. Aos 33, em grande jogada individual num contra-ataque, Greenwood ainda acertaria a trave. Os minutos finais veriam um esboço de pressão dos londrinos, mas sem resultados, com a defesa mancuniana protegendo bem a meta de Dean Henderson – que não precisou fazer uma defesa difícil sequer.

O Manchester United dá um passo imenso para sua classificação à próxima Champions. O time chega aos 57 pontos, nove de vantagem dentro do G-4, por mais que West Ham e Everton tenham um jogo a menos. Além disso, os Red Devils retomam a segunda colocação, após a breve ultrapassagem do Leicester. O West Ham, por sua vez, lamenta a oportunidade perdida. Parecia uma rodada favorável, com as derrotas de Everton e Tottenham, além do empate do Chelsea. No fim, o Chelsea ficou três pontos à frente dos Hammers, que ocupam a quinta colocação.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo