Premier League

O rolo compressor do Liverpool voltou com tudo e pulverizou o Arsenal com os 4 a 0 de Anfield

Ramsdale até adiou o pior no primeiro tempo, mas a segunda etapa avassaladora do Liverpool desenhou a goleada

Dois tropeços consecutivos frearam o Liverpool antes da Data Fifa, numa campanha em que a equipe já coleciona algumas vitórias inesquecíveis na Premier League. E a volta dos Reds às competições viu os comandados de Jürgen Klopp engatarem a quinta marcha em Anfield para o Arsenal comer poeira neste sábado. Os Gunners, que vinham de oito rodadas de invencibilidade, até buscaram certo equilíbrio e contaram com a fase absurda do goleiro Ramsdale. Porém, no fim do primeiro tempo, o Liverpool abriu a contagem. E a segunda etapa veria mais uma atuação fulminante do setor ofensivo, que só se contentou quando o placar estava em 4 a 0, numa noite inspirada de basicamente todo o time.

O Liverpool abriu o jogo na tentativa de se impor, mas encontrou um Arsenal muito atento na marcação. Os Gunners eram bem vivos nos combates e, por mais que Mohamed Salah tenha descolado a primeira finalização aos quatro minutos, sem tantos sustos, os Reds encontravam dificuldades de pressionar os visitantes. E num início com a energia lá no alto, Bukayo Saka ainda pareceu em boas condições de abrir o placar aos 17, numa bola perigosa na qual a marcação se antecipou. Entretanto, com o passar dos minutos, o time de Jürgen Klopp passou a imprimir sua velocidade e a empurrar os londrinos para trás.

O gol não saiu de imediato porque Aaron Ramsdale mantinha sua grande forma na meta do Arsenal. O goleiro até chegou a soltar uma bola na área aos 29, mas saltou corajosamente para salvar nos pés de Sadio Mané. Pouco depois, quando Alexandre Lacazette estufou as redes, o lance foi bem anulado por impedimento. O duelo ganhava um clima tenso e até rolou um entrevero na beira do campo, entre Jürgen Klopp e Mikel Arteta, em áspera discussão que rendeu o amarelo para ambos. Mas era o Liverpool quem dava um passo à frente, bem mais agressivo para sair em vantagem.

Ramsdale ainda operou outro milagre, ao fechar o ângulo de Salah à queima-roupa. Pouco depois, o goleiro desviou com a ponta dos dedos um chute de longe de Trent Alexander-Arnold que tinha endereço. Contudo, diante de tamanhos riscos sofridos pelo Arsenal e algumas faltas perigosas cometidas nos arredores da área, o gol sairia aos 40. Numa falta cobrada por Alexander-Arnold na intermediária, Sadio Mané apareceu na área para conferir de cabeça às redes e finalmente vazar Ramsdale. Antes do intervalo, ainda assim, Alisson também veio à ação quando Albert Sambi Lokonga poderia tentar o empate.

O jogo do Liverpool definitivamente se encaixou e a equipe não se daria por satisfeita no segundo tempo. Alex Oxlade-Chamberlain já daria o primeiro aviso, antes que Diogo Jota ampliasse aos sete. Nuno Tavares cometeu uma besteira na saída de bola, o que não reduz os méritos do português: foram dois dribles secos dentro da área, inclusive em Ramsdale, antes de assinar seu golaço com a meta escancarada às suas frente. Os Gunners estavam mais expostos e cometiam bem mais erros. Já nas arquibancadas, festa de uma torcida local que aproveitou até para provocar o Manchester United, cantando sobre a possível demissão de Ole Gunnar Solskjaer.

O Arsenal ainda tentou se manter no jogo na sequência do segundo tempo, com as mudanças dando um pouco de respiro ao time. Alisson também faria uma boa defesa aos 20, salvando com o pé no mano a mano contra Pierre-Emerick Aubameyang. O problema era que, do outro lado, o Liverpool se mantinha insaciável e ganhava campo para acelerar. Salah tentava o seu e Ramsdale realizou outra intervenção monumental. O terceiro gol viria aos 28, numa arrancada de Mané pela esquerda, até o cruzamento que valeu o desvio de Salah. Neste momento, o jogo parecia mais que resolvido.

Mesmo sem entregar os pontos, com outra boa defesa de Alisson em chute de Thomas Partey, o Arsenal se expunha à destruição. E a goleada do Liverpool definitivamente tomou forma aos 32, com Takumi Minamino, que tinha acabado de sair do banco de reservas. Jordan Henderson foi outro que entrou bem naquele momento e armou a jogada, que passou por Mané e Alexander-Arnold, antes do cruzamento para o japonês dar números finais ao confronto. Só então os Reds reduziram a marcha, mas sem nem permitir o gol de honra aos Gunners.

A vitória é uma ótima resposta do Liverpool ao Chelsea, que mais cedo também tinha conquistado um resultado categórico sobre o Leicester. Os Reds, na segunda colocação, chegam aos 25 pontos e ficam a quatro dos Blues. Ainda aguardam o compromisso do Manchester City, que pode retomar a vice-liderança neste domingo contra o Everton. Já o Arsenal para nos 20 pontos e perde até a chance de se emparelhar ao West Ham. Pelo menos, algumas ameaças mais abaixo também perderam e preservam a quinta posição dos londrinos.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo