Premier League

O raio caiu duas vezes: Southampton toma outro 9 a 0, agora de um United impiedosamente faminto em Old Trafford

Em 25 de outubro de 2019, o Southampton viveu um grande pesadelo. Dentro de St. Mary’s, perdeu de 9 a 0 para o Leicester, no maior placar da história da Premier League. Aquele revés serviu de ponto de virada ao time de Ralph Hasenhüttl, que se recuperou num grande segundo turno e chegou a ocupar a liderança na atual temporada. Porém, pouco mais de um ano depois, o desastre se repete: o Southampton perdeu outra por 9 a 0. Desta vez, as condições em Old Trafford foram mais decisivas ao resultado, com duas expulsões – uma com 74 segundos. Ainda assim, os alvirrubros se entregaram ao destino e se marcaram negativamente na história. Faminto durante os 90 minutos, o Manchester United também tem amplos méritos no resultado e iguala o Manchester City no topo da tabela, atrás apenas no saldo de gols.

A goleada seria condicionada pela infelicidade de Alexandre Jankewitz. O meio-campista deveria viver uma noite marcante, em sua estreia pela Premier League. Porém, com menos de dois minutos, o suíço de 19 anos deu uma entrada por cima em Scott McTominay. O árbitro Mike Dean não titubeou e mostrou o vermelho direto pela patada violenta do garoto. Com um a menos, o Southampton veria o Manchester United tomar conta do jogo a partir de então.

O primeiro gol do Manchester United saiu aos 18 minutos. Luke Shaw cruzou da esquerda e Aaron Wan-Bissaka passou no segundo pau para completar de primeira. Sete minutos depois, viria o segundo. Em mais uma boa combinação pela esquerda, Mason Greenwood serviu e Marcus Rashford definiu na área. O Southampton teve sua melhor chance de reviver aos 29, mas David de Gea salvou a cobrança de falta de James Ward-Prowse. De qualquer maneira, o duelo tinha um só sentido: o caminho do gol dos Saints.

Aos 34, Jan Bednarek ainda teria a infelicidade de completar um cruzamento contra as próprias redes, dando o terceiro gol de bandeja. E o quarto, para fechar o placar no primeiro tempo, seria de Edinson Cavani. Aos 40, o uruguaio não teve dificuldades para cabecear o cruzamento de Shaw. O United ainda viu um pênalti ser transformado em falta fora da área após revisão do VAR. Impressionava não apenas a fome de bola dos Reds Devils, mas também a apatia do Southampton, sem muito empenho.

No segundo tempo, o Manchester United até parecia tirar o pé. Ole Gunnar Solskjaer sacou Luke Shaw (em assombroso primeiro tempo) e Cavani para as entradas de Donny van de Beek e Anthony Martial. E o Southampton até descontou aos oito minutos, com Che Adams. Entretanto, o VAR mostrou um impedimento milimétrico do atacante e anulou o lance. Apesar da atitude ligeiramente melhor dos Saints na segunda etapa, seria difícil se segurar com um a menos. O United marcou o quinto aos 24, num lindo passe de Bruno Fernandes que Martial definiu com qualidade dentro da área. Dois minutos depois, McTominay chutou uma sobra da entrada da área e fez o sexto, com os adversários estáticos.

O placar parecia suficiente para as circunstâncias, mas o Manchester United não se satisfazia. Continuava em cima para mais. E a maior goleada da história da Premier League seria determinada muito pelo lance do sétimo gol. Martial invadiu a área e caiu após contato mínimo de Bednarek. O pênalti foi marcado, e discutível foi a decisão de Mike Dean ao expulsar o defensor após rever o lance no monitor, quando Bednarek claramente tentou evitar o contato. Na cobrança, Bruno Fernandes marcou o sétimo.

Com o Southampton entregue, o Manchester United aproveitou as jogadas pelos lados para alcançar a marca histórica. Aos 45, Martial anotou o oitavo. Wan-Bissaka cruzou, para o atacante dominar e finalizar. Já o nono saiu nos acréscimos. Depois da inversão, Bruno Fernandes ajeitou de cabeça e Daniel James finalizou com muito estilo, com o lado de fora do pé. A história estava cumprida outra vez, para infelicidade dos Saints.

Ao Southampton, a missão será não deixar essa derrota abalar o bom trabalho que vinha sendo feito em St. Mary’s. Os resultados pioraram nas últimas semanas e esta foi a quarta derrota consecutiva, mas o time faz um campeonato razoável no 12° lugar, com 29 pontos. O Manchester United repete a maior goleada como mandante da história da Premier League, após já ter feito 9 a 0 sobre o Ipswich Town em 1995. Depois dos tropeços recentes, é uma senhora resposta dos Red Devils. A equipe alcança os 44 pontos, igualando o Manchester City na liderança, mas fica na segunda colocação por ainda ter um saldo inferior.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo