Premier League

O Liverpool não se intimidou diante do Leicester e se impôs com uma grande atuação em Anfield

O início de campanha do Liverpool na Premier League não repete o rendimento estrondoso que se viu na temporada passada. Os atuais campeões sentem os muitos desfalques e sofrem mais para conquistar os resultados. Neste domingo, todavia, Anfield viu uma noite que relembrou os melhores momentos do time de Jürgen Klopp em 2019/20. O Leicester entrou na rodada como líder e parecia pronto a desbancar os Reds. O que aconteceu, pelo contrário, foi uma exibição do Liverpool para não deixar margens às dúvidas. As ausências não foram problema desta vez e, com muita autoridade, os anfitriões conquistaram a inquestionável vitória por 3 a 0. Autores dos gols, Diogo Jota e Roberto Firmino estiveram entre os destaques da equipe.

O Liverpool entrou em campo com reservas em várias posições, ainda que fosse uma escalação para se respeitar. Se Mohamed Salah tinha se tornado o problema mais recente, ao contrair o coronavírus, Fabinho estava de volta à zaga depois de quase um mês afastado por lesão. Na frente, o trio principal era composto por Sadio Mané, Roberto Firmino e Diogo Jota. Já o Leicester entrou num 3-4-3, tentando bloquear mais os lados. O esquema de Brendan Rodgers, todavia, não conseguiria acionar tanto Jamie Vardy.

O Liverpool controlou o jogo desde o início, contra um Leicester paulatinamente acuado. Sadio Mané cabeceou no lado de fora da rede aos dois minutos e o ataque dos Reds fluía bem mais, logo acumulando chances. Kasper Schmeichel começaria a ter trabalho cedo. Evitou o tento de Curtis Jones e depois precisou intervir diante de Diogo Jota. O lusitano, mais uma vez, fazia boa apresentação e era uma importante alternativa ao seu ataque. E com a pressão funcionando, o primeiro gol saiu aos 21. Depois de um escanteio cobrado por James Milner, Jonny Evans desviou de cabeça e mandou contra o próprio patrimônio, facilitando a vida dos anfitriões.

Logo na sequência, o Liverpool teria um gol anulado por falta em Schmeichel. O Leicester também poderia ter arrancado o empate aos 23, num chute de Harvey Barnes que saiu com muito perigo, mas não seria uma reação tão duradoura das Raposas. Os Reds seguiam no controle, ameaçando com mais constância. Joël Matip e Roberto Firmino assustaram em bolas alçadas, enquanto Mané incomodava com sua velocidade. O segundo gol amadurecia e sairia aos 41. Andy Robertson limpou a marcação pela esquerda e cruzou para Jota desviar de cabeça. Antes do intervalo, Alisson ainda rebateria uma finalização de Youri Tielemans, na tentativa de diminuir o prejuízo ao Leicester.

O apoio de Robertson e Milner nas laterais era importante ao Liverpool, que voltou ao segundo tempo de novo em busca do gol. Todavia, os Reds teriam uma perda importante com a lesão de Naby Keita, que fazia grande atuação no meio-campo. O volante deu lugar a Neco Williams, com Milner deslocado ao meio. Sem sentir o baque, o time de Jürgen Klopp seguia em cima e Schmeichel continha uma goleada. O goleiro salvaria o terceiro, diante de Mané, em bola que ainda seria repelida em cima da linha por Christian Fuchs. E o Leicester respirou aliviado outra vez aos 12, quando Schmeichel fez novas defesas contra Jota e Firmino, antes que a sobra quase entrasse, com a trave salvando Evans de seu segundo gol contra.

O Leicester demorou a acordar na partida e tentou sair mais ao ataque a partir dos 18, quando Cengiz Ünder e Dennis Praet remodelaram o setor ofensivo. Só que a posse de bola das Raposas não gerava grandes problemas ao Liverpool. O lance de maior perigo veio em cobrança de falta que pipocou na área, com Alisson saindo nos pés de Vardy. Os Reds, além do mais, ganhavam espaços para contragolpear. O placar até parecia suficiente, mas os anfitriões voltaram a crescer e a bombardear nos 15 minutos finais.

Aos 32, o Liverpool chegou a acertar a trave duas vezes no mesmo lance. Primeiro, Firmino girou sobre a marcação e tirou de Schmeichel, mas carimbou o poste. O brasileiro tentou completar a sobra, mas Marc Albrighton salvou quase dentro do gol. O rebote ficou com Mané, que bateu para outra defesa de Schmeichel, em tiro que resvalou na trave de novo. Só depois o dinamarquês seguraria a bola. Schmeichel ainda rebateria mais um chute de Mané pouco depois. A insistência se seguiria, com o gol que fechou o placar saindo aos 41. Milner cobrou escanteio e Firmino cabeceou para dentro. Depois, os Reds diminuiriam o ritmo, sem que o Leicester fizesse o suficiente para descontar.

O Liverpool chega aos 20 pontos na Premier League e se emparelha ao Tottenham. Fica na segunda colocação, porque os Spurs levam a melhor no saldo de gols. Já o Leicester sente o golpe e cai ao quarto lugar, com 18 pontos, atrás do Chelsea também no saldo. Na próxima rodada, a recuperação das Raposas é mais provável contra o Fulham, enquanto o Liverpool visita o Brighton. Ambos assistirão de camarote o Chelsea x Tottenham em Stamford Bridge, no domingo que vem.

Classificação fornecida por
Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo