Premier League

O Leeds sufocou o Arsenal em Elland Road, mas parou nas traves três vezes e lamentou o empate sem gols

Era de se esperar uma partida aberta entre Leeds United e Arsenal, em Elland Road. Marcelo Bielsa e Mikel Arteta são dois treinadores que costumam mandar seus times para frente, ainda que a campanha neste início de Premier League deixe ambos no meio da tabela. Neste domingo, contudo, os Gunners agradeceram por não voltarem a Londres com a derrota. Apesar das chances pontuais, os visitantes sofreram um bombardeio, especialmente no segundo tempo – depois que Nicolas Pépé foi expulso infantilmente. O Leeds parou nos milagres de Bernd Leno, assim como deu o azar de acertar as traves por três vezes nos 15 minutos finais. Merecia um resultado melhor que o 0 a 0 mostrado no placar.

A partida começou com muita intensidade das duas equipes, disputada de área a área, mas faltando um pouco mais de qualidade nas conclusões. Ainda assim, nenhum dos times se continha na hora de finalizar. Foram alguns tiros para fora de ambos os lados nos primeiros 20 minutos. Além disso, o Leeds parecia construir melhor suas jogadas, mas pecava nos passes finais. Aos 22, porém, o Arsenal quase deu sorte. Nicolas Pépé fez um carnaval pela esquerda e seu cruzamento tomou a direção do gol, batendo no travessão do goleiro Illan Meslier.

Quando o Arsenal parecia se soltar, o Leeds respondeu de maneira contundente e viveu ótimo momento a partir dos 25 minutos, causando uma blitz no ataque. Raphinha bateu com perigo, antes que Bernd Leno precisasse realizar grande defesa num sem-pulo à queima-roupa de Patrick Bamford. O goleiro espalmou uma bola difícil, no chão. Jack Harrison era outro a se destacar na equipe da casa, apoiando bastante pela esquerda. Os Whites trabalhavam a bola com mais qualidade e pressionavam, chegando a ter quase 70% de posse de bola nos 20 minutos finais da primeira etapa. A defesa dos Gunners se segurava, mas recuava cada vez mais e era abafada. Faltava um pouco mais de capricho aos anfitriões na hora de arrematar, apenas.

Se a partida parecia difícil o suficiente ao Arsenal, a situação pioraria no início do segundo tempo. Pépé e Ezgjan Alioski vinham trocando provocações, até que o ponta acertou uma cabeçada no adversário. O contato foi leve, mas o suficiente para ser flagrado e, após a revisão, rendeu a expulsão do jogador dos Gunners. Bukayo Saka entrou no lugar de Joe Willock e a estratégia clara de Arteta era jogar nos contragolpes. Pierre-Emerick Aubameyang chegou a acertar um tiro no alvo aos 15 minutos, sem muito trabalho a Meslier, mas o jogo se transformaria em uma pressão sufocante do Leeds.

Os Whites se instalaram de vez no campo de ataque e iam bombardeando o Arsenal. Leno seria fundamental para salvar o time, realizando mais uma defesaça aos 19, buscando um chute de Stuart Dallas que seguia em direção ao ângulo. A defesa dos Gunners se fechava como podia e o Leeds ganhou força ofensiva com a entrada de Rodrigo Moreno, aos 25. Ainda que os londrinos dessem uma escapada ou outra, as chances dos anfitriões eram bem mais concretas e logo passariam a estremecer as traves de Leno.

A primeira bola na trave foi de Rodrigo, que mirou o ângulo e carimbou a forquilha aos 35. O Arsenal respondeu na sequência, num chute de Aubameyang que Liam Cooper bloqueou com o cotovelo dentro da área. O lance poderia ter rendido um pênalti, mas a infração não foi marcada após revisão da arbitragem. Saka também criou a chance mais clara dos visitantes logo depois, ao avançar com liberdade em contra-ataque, mas Meslier salvou o Leeds ao fechar a passagem e saltar para rebater o tiro.

Já na reta final, o bombardeio do Leeds se ampliou. Bamford cabeceou longe do alcance de Leno e acertou mais uma bola na trave, aos 42. E no desespero dos acréscimos, depois que Mateusz Klich desperdiçou uma bola limpa ao arrematar por cima do travessão, Raphinha estalou a trave pela terceira vez aos 50. O brasileiro recebeu no segundo pau e concluiu no alto, mas terminou por lamentar a falta de sorte que imperou em Elland Road.

O Leeds emenda a terceira rodada sem vitória na Premier League. Ocupa o 14° lugar, com 11 pontos. A equipe de Marcelo Bielsa possui algumas boas atuações contra adversários de peso, mas não regularidade na campanha. Já o Arsenal tem dois pontos a mais, com 13, no 11° lugar. Também oscila bastante e não consegue deslanchar, muito por causa das dificuldades ofensivas. Ao menos, o equilíbrio na tabela permite acreditar na recuperação.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo