Premier League

O clima de decisão se repetiu e o Chelsea deu seu troco contra o Leicester, com uma vitória enorme pelo G-4

Depois da derrota em Wembley, o Chelsea foi claramente melhor em Stamford Bridge, mas correu risco de sofrer o empate no fim

Stamford Bridge foi palco de uma decisão pela penúltima rodada da Premier League nesta terça-feira. Chelsea e Leicester se reencontravam apenas três dias depois da final da Copa da Inglaterra, vencida pelas Raposas, para disputar pontos fundamentais na briga pelo G-4. Foi um jogaço em Londres, com temperatura lá no alto, ajudada pela atmosfera criada pela torcida parcial nas arquibancadas – com a reabertura dos estádios no país. E, desta vez, os Blues conseguiram um troco e tanto. Amassaram os visitantes durante o primeiro tempo, embora os gols tenham vindo apenas depois do intervalo. E o Leicester, que fazia uma atuação ruim até então, ainda tentou uma reação em busca do empate. No fim das contas, o Chelsea conquistou o merecido triunfo por 2 a 1 e deu um passo essencial para ir à próxima Champions. Já o Liverpool, na perseguição às Raposas, arreganham os dentes.

As duas equipes vinham com mudanças em relação ao jogo em Wembley. Édouard Mendy, Ben Chilwell e Christian Pulisic eram as novas opções de Thomas Tuchel no Chelsea. O Leicester, por sua vez, ganhava as entradas de James Maddison e Marc Albrighton, com Brendan Rodgers mudando o esquema tático. Porém, os primeiros minutos em Stamford Bridge pareciam uma continuação daquela final. Os londrinos seguiram no abafa, em busca do gol a qualquer custo.

Seria um primeiro tempo sufocante do Chelsea. Os Blues tiveram muito mais volume de jogo e provocavam uma blitz nos arredores da área do Leicester. A primeira boa chance já surgiu aos quatro minutos, num lindo lance de Timo Werner, que Ben Chilwell acabou mandando para fora sem que ninguém completasse. Depois, N’Golo Kanté bateu firme para Kasper Schmeichel espalmar. Os londrinos estavam dispostos a resolver o jogo rapidamente, sitiando o campo ofensivo. O Leicester poderia se considerar sortudo por não tomar o primeiro gol cedo e sua primeira chegada aconteceu apenas aos 13 minutos, sem muito perigo.

A pressão do Chelsea diminuiu um pouco na sequência do primeiro tempo, mas o time teria um pênalti negado (com controvérsia) e veria dois gols serem bem anulados. Aos 21, Werner seria flagrado em um de seus constantes impedimentos, após boa construção de Kanté, e a bola nas redes não valeu. O Leicester tentou responder na sequência, em seu único bom lance na primeira etapa, mas Vardy finalizou por cima após escanteio. E, logo depois, Kasper Schmeichel seria chamado à ação. Pela segunda vez nos últimos três dias, o goleiro frustrou Mason Mount com uma defesaça, desviando de leve um míssil do meia.

O Chelsea teria uma má notícia com a lesão de Kanté aos 32, substituído por Mateo Kovacic. Logo depois, ocorreu o segundo gol anulado, outra vez de Werner. O alemão desviou para as redes na sequência de um escanteio e havia dúvidas se a bola tinha passado a linha, após Schmeichel defender. A tecnologia na linha do gol até confirmou o tento, mas, na revisão do VAR, ficou claro como a bola bateu no braço do atacante e gerou a anulação. Antes do intervalo, Mount ainda faria um escarcéu pela direita e Pulisic viu o ângulo ser fechado por Schmeichel. Era impressionante como os londrinos encerraram a primeira etapa no zero, diante de tamanha imposição. Por outro lado, o Leicester agradecia a sorte, após 45 minutos muito fracos.

O merecido primeiro gol do Chelsea aconteceu na volta ao segundo tempo, com dois minutos no relógio. Após um escanteio cobrado por Chilwell na direita, a bola desviou em Vardy e Antonio Rüdiger apareceu livre para completar, meio sem querer. Os Blues pareciam ainda mais confiantes com o resultado, mas não precisavam de tanta pressa. Já o Leicester tentou ganhar mais força ofensiva com Kelechi Iheanacho no lugar de Maddison. Contudo, sobravam mais espaços aos contragolpes dos londrinos e foi na base da velocidade que a vitória se consolidou.

Werner já tinha desperdiçado um bom ataque, ao chutar fraco e facilitar a defesa de Schmeichel. Pouco depois, o alemão recebeu a bola de Mount e foi derrubado no limite da grande área. Pênalti, confirmado pelo VAR. Jorginho partiu para a cobrança e teve muita tranquilidade diante de Schmeichel, apenas deslocando o goleiro para fazer o segundo gol aos 21. A esta altura, os Blues pareciam mais dispostos a cozinhar o jogo e gastar o tempo, já que uma reação dos adversários soava improvável pela falta de futebol.

Enfim, o Leicester despertou na reta final. A equipe passou a se lançar mais ao ataque e a arriscar chutes. Ayoze Pérez e Iheanacho foram os primeiros a tentar, até que as Raposas diminuíssem aos 31. Depois de uma bola roubada no campo de ataque por Wilfred Ndidi, o volante conectou com Iheanacho dentro da área e o substituto guardou. O jogo ganhava ares dramáticos, com Iheanacho tentando surpreender Mendy de longe pouco depois. O Chelsea voltaria a sair um pouco mais ao ataque, mas nada suficiente ao terceiro.

Aos 45, a bola do empate seria desperdiçada pelo Leicester. O passe de Ricardo Pereira passou por Vardy, mas chegou limpo a Ayoze Pérez na área. O atacante tentou bater de primeira e exagerou na força, isolando. Os acréscimos manteriam o nível de tensão, com direito a uma grande confusão entre os dois times, encabeçada por Rüdiger e Pereira. Os acréscimos chegariam a oito minutos e os jogadores de ambos os lados davam sinais de descontrole. De qualquer maneira, o placar não seria mais alterado. Ficaria a comemoração dos Blues no quente clima de Stamford Bridge.

O Chelsea assume a terceira colocação, com 67 pontos. O Leicester cai para o quarto lugar, com 66, e corre o risco de ser ultrapassado pelo Liverpool na sequência da rodada. Os Reds visitam o Burnley nesta quarta-feira e, com um saldo melhor, podem entrar no G-4 com uma vitória simples. Na rodada final, o Leicester tem o compromisso mais difícil, ao encarar o Tottenham no Estádio King Power. O Chelsea dependerá apenas de si visitando o Aston Villa, enquanto o Liverpool fechará sua campanha recebendo o Crystal Palace em Anfield.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo