Premier League

Numa montanha-russa de emoções, Cristiano Ronaldo marcou uma pintura e o United saiu com a suada vitória sobre o Brighton

O Brighton foi melhor no primeiro tempo, quando De Gea salvou; Ronaldo fez no início da segunda etapa e uma expulsão abria o jogo ao United, mas os visitantes ainda rondaram o empate

O Manchester United vinha pressionado pelos tropeços recentes e precisava de uma resposta. Cristiano Ronaldo, em particular, lidava com as desconfianças e acumulava seis partidas sem balançar as redes. Assim, a vitória por 2 a 0 sobre o Brighton em Old Trafford concederia uma redenção ao craque, autor de um lindo tento para abrir o placar. Não seria uma noite tranquila para os Red Devils, ainda assim. As Gaivotas foram superiores no primeiro tempo e David de Gea salvou a pátria mais uma vez, com direito a uma defesa sensacional. Na segunda etapa, pouco depois da pintura de CR7, os visitantes tiveram um jogador expulso. Mas, à medida que os mancunianos não resolviam a parada, com uma série de defesaças operadas por Robert Sánchez, os dez homens do Brighton esboçavam o empate, com direito a bola na trave e boas chances perdidas. O respiro só viria mesmo no fim dos acréscimos, com Bruno Fernandes confirmando o triunfo.

O Brighton tentou impor uma surpresa logo nos primeiros minutos. David de Gea provou sua ótima forma nesta temporada mais uma vez, ao salvar a batida fechada de Jakub Moder aos cinco minutos. Pelo menos a resposta do outro lado não demorou. No minuto seguinte, Jadon Sancho tentou duas vezes, mas Robert Sánchez parou a primeira e Lewis Dunk salvou na sequência o passe para Cristiano Ronaldo. Era um início de jogo aberto, com chegadas constantes de ambos os lados. Porém, o Brighton era mais construtivo e trabalhava melhor com a posse de bola, enquanto o United se restringia mais aos contra-ataques.

Com o passar dos minutos, ficaram mais clara as dificuldades do Brighton nas conclusões. As jogadas saíam, mas não com o nível de contundência necessária. E a insatisfação passava a ganhar a atmosfera em Old Trafford, por mais que Bruno Fernandes tivesse seus toques de craque. Se o jogo não fluía ao Manchester United, o Brighton aumentou a intensidade e quase saiu com a vitória parcial pouco antes do intervalo. De Gea realizou uma defesa monstruosa aos 39, em cabeçada potente de Moder desviada com a ponta dos dedos. Yves Bissouma ainda teria outra batida perigosa para fora antes do intervalo. As vaias eram audíveis ao apito final.

O Manchester United voltou do intervalo muito mais agressivo. E isso faria diferença para o resultado, com o primeiro gol aos seis minutos. Diante da pressão da marcação, Bissouma errou o passe e entregou para Cristiano Ronaldo. O craque limpou a marcação com um drible rápido e lembrou seus melhores tempos em Old Trafford, com uma pancada da meia-lua que não deu chances a Robert Sánchez, entrando rente à trave. O alívio era tremendo. Para melhorar a situação, o Brighton teve um jogador expulso logo na retomada da partida. Após perder a bola na entrada da área, Dunk derrubou Anthony Elanga e, como era uma chance manifesta de gol, recebeu o vermelho após a revisão do VAR.

A partir de então, a partida ficou nas mãos do Manchester United. Sánchez ainda se esforçaria para evitar uma situação pior, com uma defesa inacreditável para impedir o segundo de Ronaldo aos 21, em cabeçada que tinha endereço. Os Red Devils acumulavam oportunidades e o segundo gol parecia capaz de sair a qualquer momento. Fernandes pararia em outra intervenção excepcional de Sánchez, numa batida livre que mais pareceu um pênalti. Minutos depois, Ronaldo cabecearia para fora, livre na risca da pequena área. Sem que o tento viesse, um susto grande ocorreu aos 32, quando Moder engatilhou um ousado chute cruzado pelo lado esquerdo da área e estalou o travessão de De Gea. Ficava o aviso para os mancunianos, que precisavam matar o jogo, pois os visitantes não estavam entregues.

O duelo seguia disputado no campo de ataque do Manchester United. Sánchez fez mais algumas boas intervenções, ao espalmar uma bomba de Fernandes e depois frustrar Harry Maguire, enquanto Bissouma quase marcou um gol contra. Só que as respostas do Brighton causavam calafrios e Danny Welbeck quase fez valer a Lei do Ex aos 45. O atacante apareceu em ótimas condições na área, mas mandou sua cabeçada por cima. Os seis minutos de acréscimos soavam torturantes aos Red Devils. Mas, num momento em que as Gaivotas se agarravam às últimas esperanças, o United finalmente definiu o triunfo aos 51. Numa falta cobrada rápida no campo de defesa, Bruno Fernandes pegou a defesa adversária aberta e arrancou com o campo a seu dispor, fingindo algumas vezes o chute até mandar para dentro. Enfim, o resultado estava concluído.

O Manchester United aproveita o resultado para reaparecer no G-4. A equipe soma 43 pontos, dois a mais que o West Ham, que possui o mesmo número de partidas. Arsenal, Wolverhampton e Tottenham ainda são ameaças logo abaixo pelo número de jogos a menos. Já o Brighton fica na nona colocação, com 33 pontos, sem tantas chances de brigar por um lugar nas copas europeias.

Standings provided by SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo