Premier League

Num sábado de estreias, Gerrard começou seu trabalho no Aston Villa com uma ótima vitória nos minutos finais

Gerrard encerrou a série negativa do Aston Villa, enquanto Dean Smith buscou uma improvável virada com o Norwich

A Data Fifa garantiu tempo para que vários clubes da Premier League procurassem novos técnicos. Três deles estrearam neste sábado e, pelo menos por enquanto, o “fato novo” conseguiu fazer efeito. O início mais esperado era o de Steven Gerrard, em seu primeiro compromisso como treinador em seu país. E o novo comandante do Aston Villa cumpriu muito bem sua missão, ao derrotar o Brighton por 2 a 0 no Villa Park, pondo fim à sequência de cinco derrotas da equipe nas rodadas anteriores.

Quem esperava um Aston Villa inspirado pelo Rangers de Gerrard, com um futebol ofensivo, se frustrou. O treinador falou logo em sua chegada que o objetivo era primeiro botar ordem na defesa e exatamente isso o que ele fez no Villa Park, com muito pragmatismo. O Brighton é uma equipe bem treinada e possui uma ideia propositiva com Graham Potter. As Gaivotas controlaram a posse em Birmingham, mas viram os Villans travarem bem o meio-campo. O time aguardou o momento certo de resolver o jogo.

O primeiro gol saiu já aos 40 do segundo tempo, num contra-ataque puxado por Ashley Young. Ollie Watkins arrancou, abriu o espaço e mandou a pancada para as redes. Quatro minutos depois, sairia também o segundo gol. Na sequência de uma bola aérea, a defesa afastou parcialmente o cruzamento e o rebote caiu limpo no pé de Tyrone Mings, que emendou de primeira. O resultado afastou o Villa da zona de rebaixamento, com 13 pontos, no 15° lugar. Já o Brighton, que vem numa sequência de tropeços, é o oitavo colocado.

Antigo comandante do Aston Villa, Dean Smith também disputou sua primeira partida no comando do Norwich. E o resultado foi surpreendente, mesmo em Carrow Road: os Canários conquistaram uma improvável virada contra o Southampton por 2 a 1. Os Saints marcaram o primeiro logo aos quatro minutos, com Che Adams. O empate dos auriverdes saiu quase na sequência, numa cabeçada de Teemu Pukki. Todavia, o primeiro tempo seria dominado pelos visitantes.

As alterações fizeram efeito na segunda etapa e o Norwich cresceu até conseguir o gol aos 34 minutos. Após a cobrança de escanteio, Grant Hanley definiu de cabeça e o goleiro Alex McCarthy aceitou. Os Canários não conseguiam uma virada pela Premier League desde 2016. O time deixou a lanterna com o resultado, subindo ao 19° lugar, e emendou a segunda vitória consecutiva, com oito pontos. O Southampton, que vinha bem nas rodadas recentes, é o 13° com 14 pontos.

Por fim, Eddie Howe não conseguiu exatamente estrear no Newcastle. O treinador até iniciou seu trabalho nos Magpies, mas testou positivo para a COVID-19 e precisou acompanhar seu primeiro jogo pelo clube do quarto do hotel, onde cumpre isolamento. E foi uma montanha-russa de emoções em St. James’ Park, com o empate por 3 a 3 contra o Brentford. O resultado, contudo, mantém os alvinegros sem vitórias nessa campanha e eles agora são os novos donos da última colocação.

O Newcastle abriu o placar logo cedo, aos 10, num escanteio que Jamaal Lascelles definiu de cabeça. Logo na reposição, Ivan Toney empatou com ajuda do goleiro Karl Darlow. E a virada saiu aos 31, numa linda cabeçada de Rico Henry. Os Magpies voltaram a empatar antes do intervalo, num chute de Joelinton dentro da área. Na segunda etapa, porém, as Abelhas retomaram a vantagem num gol contra de Lascelles. Ao menos, o time de Eddie Howe evitou a derrota graças a Allan Saint-Maxim, que emendou de primeira aos 30. Enquanto o Brentford aparece em 14° e fica com 13 pontos, perdendo fôlego depois do impacto inicial, o Newcastle tem só seis e deixa claro como a missão de seu novo treinador será dura – pelo menos até a janela de transferências em janeiro.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo