Premier League

Se fosse possível, jogo entre Newcastle e Everton não deveria dar pontos para ninguém

Newcastle e Everton ficaram no empate pela 31ª rodada da Premier League, mas ninguém merecia somar pontos pelas nuances da partida

Nesta terça-feira (2), o Newcastle empatou com o Everton por 1 a 1, no St James' Park, pela 31ª rodada da Premier League. Com o resultado, os Magpies ficaram na 8ª posição do campeonato com 44 pontos. Já os Toffees ainda estão próximos da zona de rebaixamento para a Championship, se colocando na 16ª colocação com 26 pontos, quatro acima do Z-3.

A verdade é que, se fosse possível, nem Newcastle, tampouco o Everton, mereciam somar pontos pelas nuances que apresentaram na partida. Isso porque os Magpies quiseram sentar em cima do resultado muito antes do apito final, e acabaram pagando o preço por isso. Os Toffees aplicaram o anti-futebol, que parecia ter saído diretamente do século passado: chuta para frente que depois a gente resolve.

Exagero à parte, o empate foi o mais justo por tudo que Newcastle e Everton demonstraram dentro de campo. Não é surpresa os Magpies não estarem em um lugar mais confortável na briga por vaga em competições europeias. Isso também vale para os Toffees do outro lado da classificação, que serão obrigados a contar com a sorte se não evoluírem para evitar a queda na Premier League.

Como foi Newcastle x Everton pela Premier League

O começo do Everton enganou todo mundo, pois o ímpeto pelo ataque deu indícios de que o Newcastle poderia ser surpreendido dentro de casa. Na base do abafa, os Toffees foram para cima, apostando (principalmente) na bola aérea. O problema é que isso foi uma mera enganação, os famosos 15 minutos de pressão. Curiosamente, os Magpies abriram o placar logo em seguida.

Na insistência da ligação direta, o Everton perdeu a segunda bola no meio-campo, o que permitiu Barnes dar um passe nas costas da defesa do Everton. Tarkowski, extremamente lento, não acompanha Isak, que partiu com a bola dominada em direção à grande área, driblou Branthwaite e fuzilou com categoria para o fundo do gol. Dali para frente, só deu Newcastle.

Mais do que isso, os Toffees adotaram uma postura de aparente desinteresse na partida, mesmo com a derrota parcial para os Magpies. Falta de criatividade, insistência no chutão, falta de velocidade e intensidade. Esses foram alguns das questões do Everton. Já o Newcastle aproveitou a fragilidade do adversário para tentar marcar mais gols. Contudo, isso não foi mais possível até a ida para o intervalo.

Quem tá com sono, tem que acordar

E quem pensou que o 2º tempo reservava algo melhor, também estava errado. Pelo menos, nos primeiros minutos. O Everton voltou ainda pior dos vestiários, enquanto o Newcastle sentiu que o jogo estava relativamente controlado e diminuiu seu ritmo. Em uma jogada ensaiada através de uma falta na intermediária, os Magpies até balançaram as redes, mas a arbitragem anulou por impedimento. Isso foi suficiente para os Toffees acordarem.

Com substituições um pouco mais ofensivas, o Everton começou finalmente a incomodar a defesa do Newcastle, inclusive acertando uma bola na trave. Nesse momento, os Magpies perceberam que estavam complicando uma partida ganha e despertaram. Só que isso não foi suficiente para evitar uma bobeira na zaga, o que rendeu um pênalti para os Toffees quase nos acréscimos.

Em um agarra-agarra desnecessário dentro da área, Calvert-Lewin ganhou a chance de colocar a bola na marca da cal para empatar. E o atacante do Everton não decepcionou. Bem feito para o Newcastle, que além de perder uma tonelada de gols, apagou na etapa final e duvidou da reação do adversário. Por outro lado, os Toffees têm que agradecer e muito a vacilada dos Magpies, pois em nenhum momento eles apresentaram um bom futebol.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo