Premier League

Mourinho: “Ninguém discute ciência de foguetes com a NASA, mas todos acham que podem discutir futebol com um dos treinadores mais importantes do esporte”

Depois de uma passagem fracassada pelo Manchester United, tendo em vista o tipo de ambição que o clube tinha ao contratar um dos treinadores de maior histórico vencedor no esporte, nada no trabalho de José Mourinho no Tottenham indica que o português está em vias de recuperar sua magia dos velhos tempos de Chelsea, Internazionale e mesmo Real Madrid. Ainda assim, a personalidade forte persiste – e se expressa de maneira magnífica em uma das mais recentes declarações do treinador.

Durante um evento virtual ao vivo com patrocinadores do Tottenham e torcedores dos Spurs de Singapura, Mourinho foi questionado sobre como lida com as críticas e deu uma resposta para entrar na galeria de suas grandes frases: “Acho que ninguém vai discutir ciência de foguetes com o pessoal da Nasa, mas todos no mundo acham que podem discutir futebol com um dos mais importantes treinadores do esporte. Esta é a beleza do futebol, me acostumei a isso e aprecio, então tudo bem por mim”.

Como um dos técnicos que pode trabalhar com diferentes gerações de estrelas mundiais, José Mourinho falou ainda sobre o que vê como uma safra atual de jogadores muitas vezes desmotivados, alimentados por uma paixão pelos presentes que o futebol oferece, mas não pelo jogo em si.

“Todos de fora do futebol pensam que é o treinador que irá fazer milagres, transformar um jogador desmotivado em um jogador motivado, um jogador não-profissional em profissional. Pensar isso é colocar a responsabilidade em uma pessoa que não pode fazer milagres, é tirar a responsabilidade do indivíduo. Acredito que isso está acontecendo bastante nessas novas gerações.”

Mourinho então cita Zlatan Ibrahimovic como um exemplo de alguém apaixonado pelo futebol, e não pela fama e riqueza que dele advêm.

“O Ibrahimovic, mesmo com 39 anos, é alguém que não é apaixonado pelo que o futebol pode lhe dar, porque tem tudo. É alguém que é apaixonado pelo futebol. Então, quando você tem 12 anos de idade, acho que você deve estar realmente apaixonado pelo futebol, e não pela ideia de status em torno dele”, completou.

Como em Mourinho também há espaço para amor, o técnico falou daquilo que o motiva e o faz seguir em frente, mais notavelmente, os que define como “Mourinistas”. “Sinceramente, tiro minha força de mim mesmo, mas principalmente das pessoas que amo e das pessoas que sei que me amam – mesmo que eu não conheça muitas delas”, explicou.

“Nunca as encontrei. Eu as chamava de ‘Mourinistas’ porque, em Portugal, usamos esses ‘istas’ no fim do nome do clube que amamos para definir os torcedores. Então, por exemplo, se você torce para o Porto, você é Portista. Se você é do Benfica, você diz Benfiquista. E se você é do Mourinho, dizemos Mourinista. E tenho muitos Mourinistas ao redor do mundo pelos quais eu ‘jogo’.”

Com o nível de futebol geral apresentado pelo seu Tottenham e com momentos como a eliminação para o Dinamo Zagreb na Liga Europa, após abrir 2 a 0 na partida de ida, é um pouco seguro dizer que não está na torcida dos Spurs o maior número desses Mourinistas. Porém, com o crédito que conquistou ao longo de sua carreira, o português talvez ainda tenha tempo de corrigir o curso de sua passagem no norte de Londres e aumentar sua base de fãs.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo