Premier League

Martial chamou o jogo para si e proporcionou uma importante vitória ao United sobre o Everton

O Manchester United continua pressionado pela série de maus resultados e, sobretudo, apresentações ruins sob as ordens de José Mourinho. A vitória sobre o Everton neste domingo era mais do que necessária para garantir um pouco de paz em Old Trafford. E ela aconteceu, dependendo principalmente da participação de Anthony Martial. Entre as oscilações de sua passagem pela Inglaterra, desta vez o francês se põe na ascendente e ajuda a equipe. Anotou o golaço que valeu a vitória por 2 a 1, atenuando as críticas e dando respiro aos mancunianos na tabela da Premier League. A situação geral, de qualquer maneira, está distante de ser boa.

Mourinho vinha com novidades na formação. A principal surpresa estava no ataque, com Marcus Rashford centralizado, apoiado por Anthony Martial e Juan Mata. Romelu Lukaku desta vez ficou no banco, entrando apenas no segundo tempo. Em começo de jogo aberto, o Manchester United era mais perigoso. E contava com a participação fundamental de Martial. O ponta exigiu uma defesaça de Pickford, pouco antes de sofrer um pênalti bastante contestável. Na cobrança, o goleiro da seleção inglesa pegou o chute de Paul Pogba, mas o meio-campista aproveitou o rebote.

O Everton tentou pressionar no final do primeiro tempo, com David de Gea garantindo a segurança ao United. Assim, na volta do intervalo, Martial resolveria o jogo. Recebeu do lado esquerdo e acertou um belíssimo chute cruzado, no canto de Pickford. Os Red Devils ainda poderiam ter feito o terceiro na sequência, mas os Toffees cresceram e botaram pressão no final. Chris Smalling cometeu pênalti sobre Richarlison e Gylfi Sigurdsson descontou aos 32. Mesmo assim, as possibilidades seguiam maiores aos mancunianos nos contragolpes, desperdiçando dois bons lances para matar o jogo. Ao menos não fizeram falta.

O momento de Martial no Manchester United é importante. Não apenas por sua sequência recente, com quatro gols nos últimos quatro jogos, mas também pela renovação de seu contrato. Depois de rejeitar a primeira oferta feita pelo clube, parece dar motivos para que aumentem a pedida. Além da importância na definição das jogadas, mais uma vez imprimiu velocidade ao time. Foi o que se espera, a quem valeu uma fortuna na contratação. Mas que, no entanto, precisa ser bem mais constante.

Com o triunfo, o Manchester United aparece na oitava colocação, com 17 pontos. São cinco pontos a menos que o Arsenal, atualmente o mais próximo do G-4. Ultrapassa o próprio Everton, agora nono, com 15 pontos. Na próxima rodada, os Red Devils terão um compromisso delicado, visitando o embalado Bournemouth. Já o dérbi contra o Manchester City acontece em 11 de novembro, no Estádio Etihad. Um momento definitivo ao semestre conturbado de José Mourinho.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo