Premier League

Manchester United vence o Brentford no último jogo em Old Trafford de uma temporada melancólica

Os Red Devils venceram por 3 a 0 no último jogo em casa pela Premier League e seguem na direção de uma vaga na Liga Europa - porque na Champions League está praticamente impossível

A temporada do Manchester United não foi nem um pouco boa, mas pelo menos o último jogo diante de sua torcida terminou com um resultado positivo. Bruno Fernandes, Cristiano Ronaldo e Raphaël Varane marcaram na vitória por 3 a 0 sobre o Brentford que deixa os Red Devils ainda com chances mínimas de vaga na Champions League e em posição melhor para disputar a Liga Europa.

O United tem 58 pontos e disputará apenas mais dois jogos pelo Campeonato Inglês, contra Brighton e Crystal Palace fora de casa. Chegará no máximo a 64 pontos. O Arsenal, atualmente em quarto lugar, tem 63 pontos e precisa somar apenas mais dois em quatro jogos para não ser mais alcançado pelos Red Devils. O Tottenham, em quinto com o mesmo número de partidas de seu rival, está com 61.

Em um fim de temporada melancólico, qualquer vitória tem que ser comemorada. Essa foi apenas a terceira pelo Campeonato Inglês nas últimas dez rodadas, desde o fim de fevereiro. Os três pontos também deixam o United com vantagem contra West Ham (52 pontos, com um jogo a menos) e Wolverhampton (49 pontos, com dois jogos a menos) na briga por Liga Europa.

Novo técnico da Áustria, Ralf Rangnick, que conciliará o cargo com o seu papel de consultor em Old Trafford após a chegada de Erik ten Hag, escalou Juan Mata como titular pela primeira vez nesta temporada da Premier League, na linha de armação ao lado Bruno Fernandes e Anthony Elanga. O espanhol de 34 anos está no United desde 2014 e sairá ao fim do seu contrato, em junho.

Logo aos nove minutos, Elanga foi lançado na ponta direita e se esforçou para alcançar a bola antes da linha de fundo. Tocou para a entrada da pequena área, onde Bruno Fernandes apareceu chapando para fazer 1 a 0. O suor do companheiro foi reconhecido por Fernandes, que imediatamente se dirigiu ao garoto para comemorar. O Brentford respondeu com um cabeceio perigoso de Ivan Toney por cima do travessão, em bom cruzamento de Eriksen.

Mata começou bem a sua turnê de despedida. No fim do primeiro tempo, participou de uma linda tabela com Cristiano Ronaldo, antes de bater de perna direita para fora. A dois minutos do intervalo, arrancou pela esquerda, em lançamento de Fernandes, e cruzou perfeitamente à entrada da área para Ronaldo marcar. Estava, porém, um pouco impedido no início da jogada.

O Manchester United seguiu dominante contra o Brentford, que começou bem a temporada, teve um momento longo de baixa, mas havia conseguido estabilizar o barco com cinco vitórias em sete jogadas. Bruno Fernandes saiu nas costas da defesa e bateu cruzado, bem perto da trave. Aos 15 minutos, Ronaldo invadiu a área pela direita e levou uma trombada de Rico Henry, que chegou como um trem desgovernado. O português cobrou a penalidade e ampliou para 2 a 0.

O Manchester United completou a vitória com um gol de Varane, pegando de primeira no meio da área após escanteio cobrado por Alex Telles. O desvio no meio do caminho ajudou. Mata foi substituído por Phil Jones, aos 30 minutos, e saiu bastante aplaudido e abraçado pelos companheiros. O Brentford se esforçou para tentar volta à partida, mas não conseguiu.

Ao apito final, os jogadores do Manchester United se demoraram no gramado para agradecer ao apoio da torcida e se despedir devidamente de Old Trafford em uma temporada muito melancólica. A chegada de Ten Hag aponta o começo de um novo projeto, e isso sempre passa certa esperança, mas ainda há muitas dúvidas sobre quem fica, quem sai, quem chega e qual o maior campeão da Inglaterra tomará.

.

.

Standings provided by
Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo