Premier League
Tendência

Manchester United sustenta a sequência positiva com uma vitória no fim sobre o Wolverhampton

Rashford saiu do banco para fazer o gol da vitória e De Gea também realizou duas defesas decisivas

O Manchester United sustenta seu momento positivo na retomada da Premier League. Os Red Devils emendaram mais uma vitória, e numa partida delicada no Estádio Molineux, contra um Wolverhampton que parece melhorar com a chegada de Julen Lopetegui. Numa partida em bom nível de intensidade, foi somente na reta final que o placar de 1 a 0 se definiu aos mancunianos. Marcus Rashford foi a estrela da sorte de Erik ten Hag, ao sair do banco, e definiu o resultado com seu gol. David de Gea também seria imprescindível, com duas defesas salvadoras, incluindo uma nos acréscimos do segundo tempo.

Assim como nas demais partidas da Premier League, foi respeitado um minuto de silêncio em homenagem a Pelé. Eram várias referências ao Rei nas arquibancadas do Molineux, incluindo camisas da Seleção e também cartazes de torcedores. Já em campo, Antony exibiu uma camiseta em que estava escrito “descanse em paz, Pelé”.

A partida começou num ritmo alto. O Manchester United comandava um pouco mais as ações e levava perigo nas bolas paradas com Christian Eriksen, mas o Wolverhampton também conseguia acelerar e a incomodar. As chegadas se tornavam mais constantes a partir dos 15 minutos, dos dois lados, e José Sá logo precisou fazer uma boa defesa no mano a mano para impedir o gol de Alejandro Garnacho, depois do presente de Nelson Semedo. Pouco depois, o goleiro também trabalhou num chute desviado de Antony. Quando respondiam, os Lobos conseguiam aplicar um jogo direto e de velocidade, já com características dos trabalhos de Julen Lopetegui.

Apesar da partida aberta, as defesas ainda conseguiam prevalecer. Faltava um pouco mais de capricho no passe final e nos arremates, quase sempre travados na hora exata. A zaga do United conseguia abafar as principais tentativas do Wolverhampton, por mais que Diego Costa travasse duras batalhas nos arredores da área, em partida muito ativa do veterano. Do outro lado, José Sá seria menos experimentado com o passar dos minutos e manteve um bom nível de segurança. Nos acréscimos, quando Antony teve ótima oportunidade, não conseguiu conectar em cheio a cabeçada e permitiu que o goleiro salvasse.

O Manchester United voltou do intervalo com Marcus Rashford no lugar de Garnacho. O segundo tempo era mais equilibrado, com chances de gol mais pontuais. José Sá realizou outra boa defesa nos pés de Antony, enquanto Bruno Fernandes mandou para fora uma cobrança de falta. Aos 13, seria a vez de David de Gea realizar uma defesaça ao buscar no ângulo a falta cobrada por Ruben Neves. Entretanto, logo a partida ficaria um pouco mais travada. Apesar da posse de bola superior dos Red Devils, a equipe não encontrava muitas soluções. Em compensação, acuava os Lobos.

A vitória se abriu a partir dos 32 minutos, com o gol de Rashford. Foi uma troca de passes muito inteligente do Manchester United. O atacante tabelou com Bruno Fernandes e encontrou uma fresta na defesa do Wolverhampton, pedindo passagem na área e definindo diante de José Sá. E quase Rashford anotou mais um na sequência, numa rebatida diante de José Sá. Porém, a bola bateu em seu braço e o tento acabou anulado. A pressão do Wolverhampton pelo empate só aconteceu nos acréscimos. De Gea novamente seria brilhante, ao repelir uma cabeçada à queima-roupa de Raúl Jiménez aos 49.

O Manchester United assume a quarta colocação da Premier League, ao menos de forma provisória. A equipe soma 32 pontos, dois a mais que o Tottenham. São três vitórias consecutivas na competição. Já o Wolverhampton, apesar dos sinais positivos nesse início com Lopetegui, permanece na zona de rebaixamento. São 13 pontos, no 18° lugar.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo