Premier League

Manchester United escolhe Solskjaer, o “assassino com cara de bebê”, como técnico até o fim da temporada

Um jogador histórico do Manchester United foi escolhido como substituto de José Mourinho para ser o técnico até o final da temporada: Ole Gunnar Solskjaer, autor de um gol inesquecível na final da Champions League de 1998/99, contra o Bayern de Munique, nos acréscimos. Foi o gol do título. Aos 45 anos, o ex-jogador assume com a missão de recuperar o time. Foi carinhosamente apelidado pela torcida de “assassino com cara de bebê” por ser um artilheiro implacável, com gols importantes, apesar da aparência inofensiva.

LEIA TAMBÉM: Como o United se reconstruiu pós-Busby e os desafios de fazer o mesmo depois de Ferguson

Solksjaer jogou por 11 anos no Manchester United, de 1996 até 2007, quando se aposentou. Ele é de uma época do futebol inglês que levava muitos escandinavos para jogar na liga. A abertura que a Lei Bosman trouxe, além da União Europeia, mudaram isso, mas Solskjaer ainda é de um Manchester United que tinha essa marca. O time campeão europeu de 1998/99 tinha Peter Schmeichel, dinamarquês; Ronny Johnsen, norueguês; e Jesper Blomqvist, sueco, que substituiu o suspenso Roy Keane.

Desde que encerrou a carreira dentro de campo, Solskjaer tem trabalhado como técnico. Primeiro, de 2008 a 2011, dirigiu o time de reservas do Manchester United. Depois, passou três anos no Molde, da Noruega, clube pelo qual jogou. Voltou ao Reino Unido com o Cardiff City, em Gales, que disputava a Premier League, mas ficou pouco tempo. Chegou em janeiro e foi embora em setembro, já com o time na segunda divisão, quando começou mal a campanha.

Solskjaer recebe placa do seu gol pelo Manchester United em 1999, na final da Champions League, junto com Alex Ferguson (Foto: Getty Images)

Em 2015, voltou ao Molde e dirigia o time desde então. Ele temporariamente deixa o cargo no clube norueguês para assumir o Manchester United até maio. Depois, retorna ao posto. O Campeonato Norueguês, assim como a maioria dos escandinavos, joga no calendário solar, como no Brasil, com sua liga indo de março até novembro, evitando o inverno muito rigoroso da região. Portanto, Solskjaer perderá as primeiras rodadas, mas terá meses importantes para mostrar o seu trabalho no clube que o consagrou e é um dos maiores da Inglaterra.

“O Manchester United está no meu coração e é brilhante voltar neste posto”, afirmou Solskjaer ao site do Manchester United. “Estou realmente ansioso para trabalhar com um elenco muito talentoso que temos, a comissão técnica e todo mundo no clube”. Em entrevista à TV 2, da Noruega, o atacante comemorou. “No futebol você nunca sabe o que pode acontecer. Nós temos prova disso o tempo todo. Esta é uma oportunidade que eu tive que aproveitar. Eu estou ansioso para liderar o Manchester United até o verão [europeu, em junho]. Ao mesmo tempo, eu irei seguir de perto o que está acontecendo em casa”, disse o treinador.

Além de Solskjaer, quem também volta ao United é Mike Phelan, outro ex-jogador do clube. Ele será o assistente de Solskjaer nesta empreitada. Phelan passou 14 anos na comissão técnica do Manchester United, sendo cinco anos como assistente, de 2008 a 2013, quando Alex Ferguson se aposentou. Trabalhou depois disso no Norwich e no Hull City, sempre como um dos membros da comissão técnica.

“Ole é uma lenda do clube com uma enorme experiência, tanto em campo quanto nos papéis de técnico. Sua história no Manchester United significa que ele vive e respira a cultura aqui e todo mundo no clube está satisfeito em ter ele e Mike Phelan de volta. Nós estamos confiantes que eles irão unir os jogadores e torcedores ao entrarmos na segunda metade da temporada”, disse o executivo-chefe do United, o também muito criticado Ed Woodward.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo