Premier League

Liverpool se compromete a estreitar contato com torcedores após fiasco da Superliga Europeia

Grupo de torcedores pede participação ativa nas decisões do clube, com um lugar na mesa de diretores

Atendendo a um pedido de um de seus grupos de torcedores mais notórios, o Liverpool se comprometeu a abrir discussões com a sua massa após a péssima repercussão do envolvimento do clube na criação da controversa Superliga Europeia, já derrotada graças à pressão popular e de atores políticos.

O grupo Spirit of Shankly, que representa os interesses dos torcedores do Liverpool, realizou uma pesquisa com seus membros para saber quais deveriam ser seus próximos passos em meio a um momento de pressão elevada das torcidas sobre os clubes do Big Six. Com ampla maioria (89%), eles decidiram que desejam que o grupo seja representado na diretoria, trabalhando dentro do clube com o objetivo de uma reforma na maneira como o Liverpool é administrado por seu proprietário, o Fenway Sports Group.

O Spirit of Shankly então comunicou isso ao clube, e Billy Hogan, CEO dos Reds, respondeu prontamente aos torcedores, em menos de 24h. A carta do dirigente foi compartilhada nas redes sociais do grupo de torcedores, e um trecho dizia: “É bom que o Spirit of Shankly tenha optado por se reengajar com o clube, porque isso permite que conversas necessárias aconteçam, de forma que as visões sejam compartilhadas e, espero, soluções viáveis sejam encontradas para manter os melhores interesses do clube”.

Hogan ainda se comprometeu a convocar uma reunião inicial com o Spirit of Shankly “assim que nossas agendas permitirem”, de forma a dar pontapé inicial a um diálogo mais próximo com seus apaixonados.

No início desta semana, o Spirit of Shankly havia expressado sua insatisfação com os proprietários do Liverpool diante da tentativa de criação da Superliga Europeia: “O relacionamento que pensávamos que tínhamos era falso, mas devemos usar esta experiência como um catalisador para mudanças. Mudanças de verdade. Ao votar pela continuidade do engajamento com o FSG, agora eles (proprietários) precisam tomar uma decisão. Suas ações envergonharam o LFC, mas eles podem aceitar os valores e princípios do nosso clube e reagir positivamente. Juntos, podemos liderar a mudança para o futuro do nosso jogo”.

O Spirit of Shankly acrescentou que deseja trabalhar ao lado de grupos de torcedores de outros clubes e com a Associação de Torcedores de Futebol para garantir que a análise que o governo deverá fazer sobre a governança no futebol leve em conta o que a torcida tem a dizer.

O governo britânico certamente se mostra aberto a isso. O golpe que 12 dos maiores clubes do mundo tentaram dar no futebol europeu foi tão unanimemente criticado que permitiu ao governo uma vitória simbólica fácil ao se opor contra um projeto que desagradava parte significativa de sua base eleitoral. Neste sentido, comprometeu-se a iniciar um diálogo com representantes de torcidas de todo o país para discutir uma possível reforma na gestão dos clubes de futebol, incluindo na mesa uma conversa sobre a possível adoção de um modelo de participação dos torcedores na administração dos clubes, como acontece na Alemanha.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo