Premier League

Liverpool aumenta pressão sobre Benítez com goleada e grande atuação no Goodison Park

Com apenas dois pontos em 24 possíveis, a situação do espanhol, campeão europeu pelo Liverpool, está cada vez mais complicada

O nome de Rafa Benítez foi entoado nas arquibancadas de Goodison Park. Pela torcida do Liverpool. A pressão sobre o treinador campeão europeu de 2005 pelos Reds, agora no comando do Everton, foi elevada à enésima potência nesta quarta-feira pela goleada por 4 a 1 do time de Jürgen Klopp que estendeu a péssima fase do lado azul da cidade.

Após começar bem a Premier League, o Everton conseguiu apenas dois pontos em 24 disputados desde o começo de outubro, e se sempre foi difícil convencer a torcida a dar um voto de confiança a Benítez, com história muito associada ao rival Liverpool, a cada vexame esse desafio fica cada vez mais impossível, até o momento em que a diretoria parará de tentar.

Esse momento pode estar se aproximando, de acordo com o clima em Goodison Park, onde alguns torcedores do Everton foram embora ainda aos 19 minutos do primeiro tempo, quando Mohamed Salah fez 2 a 0 para o Liverpool. Houve uma reação dos donos da casa no final da etapa inicial, mas Salah e Jota anotaram dois golaços para fechar a goleada, e o clima voltou a ficar pesado.

Foi a maior vitória do Liverpool em Goodison Park desde 2003, quando Michael Owen, duas vezes, e Harry Kewell marcaram em um 3 a 0. A última vez que os Reds fizeram quatro gols como visitante contra o Everton, e ganharam, foi em 1986, com hat-trick de Ian Rush.

Enquanto isso, os visitantes aproveitaram para tirar um pouco de sarro cantando o nome do treinador que conduziu o Milagre de Istambul e terminaram a partida entoando, de maneira irônica, “Benítez no volante”, comemorando a terceira vitória seguida pelo Campeonato Inglês com quatro gols marcados, recuperando-se após perder para o West Ham, a única derrota desde abril.

O Liverpool foi com o melhor que tinha à disposição, o que incluiu Thiago no meio-campo ao lado de Fabinho e Jordan Henderson, e abriu o placar logo aos nove minutos com o seu capitão. Mané aparou o lançamento no bico esquerdo da grande área e acionou Robertson. Da linha de fundo, o lateral esquerdo rolou para trás, e Henderson chegou batendo para fazer 1 a 0.

A pressão visitante gerou uma ótima defesa de Pickford em uma bomba de Alexander-Arnold da entrada da área antes do segundo gol, em um contra-ataque clínico. Henderson lançou rasteiro da intermediária defensiva, Salah entrou pela direita e tocou colocado por cima. Michael Keane quase fez um gol contra em cobrança de escanteio, e Mané exigiu outra intervenção do titular da seleção inglesa com um chute de média distância.

Era uma partida absolutamente controlada pelo Liverpool, até Richarlison dominar na intermediária e encontrar Demarai Gray entre os marcadores. Um toque na saída de Alisson descontou para o Everton e modificou o clima no Goodison Park. O Everton passou a acreditar. Retornou melhor do intervalo e pressionava. Até Salah resolver fazer das suas.

Era escanteio para o Everton. A defesa vermelha afastou. A bola voltou para Coleman na altura do meio-campo, mas Salah bateu a sua carteira. Arrancou pela esquerda até entrar na área e marcou o terceiro com um chute cruzado preciso na saída de Pickford. Jota matou Allan no domínio e soltou uma bomba pelo alto para dar números finais ao placar. E para deixar Rafa Benítez e o Everton em um caldeirão fumegante.

.

Standings provided by SofaScore LiveScore

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo