Premier League

Lingard (quem diria) motiva os sonhos do West Ham e deu show contra os Wolves, para recolocar seu time no G-4

O camisa 11 participou dos três gols de sua equipe no Estádio Molineux, com toques de brilhantismo

Jesse Lingard era um dos jogadores mais execrados no Manchester United, com muita gente apontando que o meia não tinha nível para envergar a camisa vermelha. Escanteado nesta temporada, depois de ganhar muitas oportunidades para convencer os Red Devils, o inglês acabou respirando novos ares e foi emprestado ao West Ham na janela de inverno. Pois as chances dos Hammers na briga por uma vaga à Champions League passam pelos pés do camisa 11. Lingard renasceu em Londres e faz maravilhas na equipe de David Moyes. Nesta segunda, teve mais uma atuação de gala na conta, ao comandar o triunfo por 3 a 2 sobre o Wolverhampton dentro do Estádio Molineux – que coloca os londrinos no G-4.

O primeiro tempo de Lingard foi de cinema. O meia esteve envolvido nos três gols do West Ham. O primeiro aconteceu aos seis minutos, num contra-ataque. Lingard arrancou do campo de defesa e, com a ajuda de Michail Antonio na movimentação, se livrou de três marcadores antes de definir. O segundo, aos 14, contou com um toque genial do camisa 11. Lingard deu um drible sensacional na linha de fundo, para evitar a saída da bola e escapar de Nélson Semedo. Arthur Masuaku deu continuidade ao lance e tocou para Pablo Fornals definir. Já no terceiro, aos 38, Lingard de novo disparou do campo defensivo e atraiu a marcação de cinco adversários. Depois serviu Jarrod Bowen, que tinha espaço e arrematou no canto de Rui Patrício.

O Wolverhampton descontou aos 44 minutos, com Leander Dendoncker. O West Ham teve um gol anulado no segundo tempo, antes que os Lobos realmente botassem pressão, quando Fábio Silva anotou o segundo aos 23. A sequência da partida teria uma grande insistência do time da casa no Estádio Molineux. Os Hammers conseguiram conter os ânimos dos adversários e puderam comemorar três pontos importantíssimos, restando oito rodadas para o desfecho da Premier League. Embora campeão da Recopa Europeia em 1965, com uma base que brilharia na Copa de 1966 pela seleção inglesa, os londrinos nunca disputaram a Champions.

Segundo os números da Opta, desde que Lingard chegou ao West Ham, nenhum outro jogador produziu tantos gols na Premier League. O meia marcou seis gols e deu três assistências em oito aparições pelos Hammers. Teve papel fundamental em vitórias sobre Aston Villa, Tottenham, Leeds e agora contra o Wolverhampton, além do empate contra o Arsenal. Também ganhou sua chance na seleção inglesa e foi um dos melhores em campo na vitória sobre San Marino. Se não era jogador a um gigante como o Manchester United, parece o protagonista perfeito ao West Ham, um clube tradicionalíssimo que tenta voltar aos seus melhores dias.

A rodada também ajudou o West Ham. Depois de vencer apenas um de seus últimos quatro compromissos pela Premier League, o time volta da Data Fifa com um resultado importante fora de casa. Os Hammers chegam aos 52 pontos, um a mais que o Chelsea, aproveitando também para deixar Tottenham e Everton mais distantes. David Moyes não tem a melhor equipe no papel, mas torna os londrinos bastante competitivos e permite o sonho. Já o Wolverhampton é o 14° colocado, com 35 pontos, distante de ser a sensação da vez.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo