Premier League

Leicester demite Brendan Rodgers após derrota para o Crystal Palace

Foxes estão muito mal na luta contra o rebaixamento e encerraram parceria de quatro anos com o treinador

Anos depois de viver um verdadeiro conto de fadas com o título da Premier League, o Leicester luta contra o rebaixamento. Neste domingo (2), o clube anunciou a demissão do técnico Brendan Rodgers, após quatro anos de trabalho e um título na FA Cup, em 2021.

Com muita dificuldade para sair da zona de descenso, em penúltimo lugar, o Leicester até reagiu em alguns momentos da temporada, mas a derrota para o Crystal Palace, no último sábado, fragilizou bastante a missão de pontuar e fugir de uma situação incômoda. Restando 10 jogos para o fim da Premier League, a direção dos Foxes acredita que possa trazer um fato novo relevante para ter êxito em sua missão de sobrevivência na elite.

Em nota, o presidente do clube, Aiyawatt Srivaddhanaprabha se manifestou e explicou a decisão de demitir Rodgers, que até a temporada passada desfrutava de bastante prestígio, inclusive alcançando a semifinal da Conference League, sendo eliminado pela campeã Roma.

“Acreditamos bastante em continuidade e estabilidade são chave para que corrijamos nosso destino, e isso ficou claro com o que conquistamos sob o comando de Brendan. Infelizmente, a evolução desejada não veio e, com 10 rodadas restantes, a direção foi forçada a tomar alguma atitude para proteger nosso status de time de elite. A missão para esses jogos que faltam é clara. Precisamos nos unir, todos nós, torcida, jogadores e funcionários, para mostrar força, qualidade e ousadia para assegurar a permanência na primeira divisão”,

Além do título da FA Cup, Rodgers havia conseguido dois quintos lugares consecutivos em suas primeiras temporadas à frente do clube. Olhando para o todo, de fato o trabalho não foi ruim, mas não há sequência que resista a uma inesperada luta contra o rebaixamento, realidade dura do Leicester neste ano. As coisas simplesmente não estão dando certo e mesmo o terceiro maior artilheiro da história do clube, Jamie Vardy, tem sofrido com lesões e ficado de fora de várias partidas.

O Leicester não é exatamente um clube que tem paciência com seus treinadores, mesmo na fase em que tem sido gerido pelo grupo tailandês King Power, que impulsionou o investimento que levou a equipe ao topo da Inglaterra em 2016. Nem mesmo Claudio Ranieri foi poupado quando o time entrou em séria decadência na temporada 2016-17. Depois do italiano, passaram pelo banco de reserva alguns interinos como Craig Shakespeare, que durou oito meses, e o francês Claude Puel, que não conseguiu completar duas temporadas no cargo, dando lugar a Brendan.

Rodgers demonstrou maior regularidade do que seus antecessores, o que explica de maneira simples os quatro anos em que esteve no comando dos Foxes. Os resultados atuais, porém, são implacáveis. Em penúltimo, o Leicester está a apenas um ponto do Leeds, que respira fora da zona de rebaixamento. Ainda não se sabe quem assumirá o cargo, embora historicamente o clube também não demore para anunciar novos técnicos.

Foto de Felipe Portes

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes
Botão Voltar ao topo