Premier League

Lampard: “Não temos um Hazard ou um Diego Costa ainda, estamos desenvolvendo estes jogadores”

A fortuna gasta pelo Chelsea na última janela de transferências, mais de £ 200 milhões, naturalmente trouxe consigo muita cobrança por uma entrega imediata, mas Frank Lampard tem tido dificuldades em apresentar desempenho ou resultados constantes. Para o técnico, o setor ofensivo tem sido um problema em especial e, embora veja muito potencial nos jogadores que tem à disposição, acredita que eles ainda não estão no nível de atletas constantemente decisivos que os Blues tiveram em sua história recente, como Eden Hazard e Diego Costa.

Em sua coletiva prévia ao jogo contra o Leicester, que ocupa a 3ª colocação da Premier League, quatro lugares à frente do Chelsea, Lampard afirmou que sua equipe, com nomes ainda em desenvolvimento como Pulisic, Mount e Havertz, sente falta de jogadores prontos e de elite lá na frente.

“O Leicester está na briga pelo título, e há outros, mas não devemos pensar demais na briga pelo título no momento. Quando as pessoas estavam nos anunciando como concorrentes ao título, nós temos o elenco (para isso) quando você olha para a composição dele, mas é um elenco muito jovem, especialmente nas áreas mais à frente (ataque). Não temos o histórico de jogadores nessas áreas que o clube teve antes, que eram máquinas de gols ou de assistências que ganhavam jogos para você”, analisou Lampard.

O técnico reconheceu que há bastante potencial no seu efetivo, mas que os jogadores ainda estão no meio do percurso para se tornarem atletas de ataque como eram Hazard e Diego Costa, algumas das referências ofensivas do clube na última década.

“O nosso time tem potencial. Não temos um Eden Hazard, contribuindo com 50% dos gols ou assistências. Não temos um Diego Costa marcando 30 gols. Estamos desenvolvendo esses jogadores, e acredito firmemente neles. Porém, no momento, ainda não estamos lá, enquanto outros times ao nosso redor talvez já estejam lá, na parte de frente do campo. Para nós, pode haver tempos difíceis”, alertou.

O Chelsea viveu uma boa sequência entre setembro e dezembro na Premier League, com nove jogos de invencibilidade e a promessa de uma briga pelo título. No entanto, caiu de rendimento desde então, sobretudo no ataque, que marcou apenas oito gols nos últimos sete jogos, vencendo só duas vezes neste período. Um triunfo contra o Leicester nesta terça-feira poderia ser uma importante resposta ao momento decepcionante e um impulso à equipe na briga pelo G4, do qual está a cinco pontos de distância.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo