Premier League

Klopp: “Espero que o Liverpool se desenvolva ainda mais nos próximos meses”

O Liverpool chega ao final de 2018 sabendo que atravessou um ano marcante em sua rica história. Os Reds não conquistaram um título, mas provaram de vez que estão prontos a ambicionar mais. Chegaram à decisão da Liga dos Campeões e, agora, lideram a Premier League com uma campanha fantástica. Pois Jürgen Klopp projeta que sua equipe continuará evoluindo nos próximos meses. O treinador concedeu uma longa entrevista à Sky Sports, em que avaliou o momento, falou sobre suas perspectivas ao futuro e também comentou a preparação ao Boxing Day. Abaixo, destacamos os principais trechos:

Expectativas para 2019

“Buscaremos tudo, o que não garante que conseguiremos tudo. Estamos em três competições e realmente em um bom momento. Tentaremos conquistar o máximo. Espero mais desenvolvimento para 2019. Os rapazes evoluíram de uma maneira extraordinária. Há algumas coisas que ficaram claras antes porque amadurecemos, mas este grupo não é velho, apenas mais experiente. Então, isso sempre vai ajudar no próximo ano se você for inteligente o suficiente”

Melhor momento de 2018

“O ápice do ano provavelmente foi a classificação para a Champions na Premier League ou entrar no hotel em Roma após conquistarmos a vaga na final. Foi uma bela recepção. Se pudéssemos terminar a competição naquele momento, isso teria ajudado. Viveríamos duas semanas a mais de férias e não o momento frustrante em Kiev. Mas a temporada inteira foi boa, aproveitamos muito, aconteceram muitos momentos legais. Essa é a questão de trabalhar em um bom time, você tem muitos bons jogos. Foi uma boa temporada”

O fim do contrato em 2022

“Não quero pensar no fim do meu contrato, não quero pensar tão longe. Se você escrever isso, muitas pessoas falarão. Tudo está bem no momento, mas ainda assim ‘Klopp não ganhou nada’. Eu não ganhei nada, então isso é parte da verdade, não temos que pensar sobre 2022, é um longo caminho. No verão, encontrarei pessoas que dirão para eu sair se ganharmos algo, porque nunca ganharemos qualquer coisa novamente, enquanto outras pessoas dirão que eu deverei sair se não ganhar nada. Enquanto aproveitarmos a jornada aqui, e digo isso por todos – os donos, os jogadores e os torcedores – podemos tentar e tentar. Mas no momento em que um desses grupos não foi mais feliz, então não devemos insistir. Este é um bom momento e 2022 é muito tempo, não tenho que pensar sobre”

O Boxing Day

“Sinto falta de aproveitar o feriado de Natal. Na Alemanha, costumamos estar de férias. Sei que meus colegas alemães estão planejando ir para lugares mais quentes ou esquiar, coisas do tipo. Nossos filhos são grandes o suficiente para que não precisássemos pensar no que fazer dia 24. Viajávamos e passávamos bons momentos juntos. O Boxing Day não é um problema tão grande, acho que o Natal é um período maravilhoso e ainda tenho tempo para vivê-lo aqui. Mas imagino que, para os jogadores e para as pessoas envolvidas com o futebol que têm crianças, não é legal. Você não tem um Natal verdadeiro por anos, isso deve ser difícil de lidar”

A folga de Natal

“Na Inglaterra, o Natal é comemorado no dia 25, mas na Alemanha a noite santa é a do dia 24. Então, perguntei aos rapazes como eles preferiam fazer. Sabemos que precisamos treinar, é isso, mas sou flexível o suficiente para ouvir sobre as tradições. Iremos treinar de manhã e depois os rapazes voltam para casa, onde vão comemorar o Natal com a família. Depois nos encontraremos de novo durante a noite e vamos para o hotel. Já é um desafio lidar com um jogo em casa, mas fora é algo que realmente complica as famílias. Conheço pessoas que não pensam sobre isso, mas os jogadores têm muitos filhos. Tentamos fazer isso o mais confortável possível”.

A vida em Liverpool

“Eu gosto de tudo em Liverpool, exceto o clima. Se você tem as pessoas certas ao seu redor, pode viver em qualquer lugar. Família não é um problema, filhos, amigos. Liverpool é uma cidade agradável e, se você não tem meu rosto, pode sair e se divertir bastante. Todos os meus conhecidos que me visitaram amaram a cidade, amaram o estádio, amaram o clube. Então, tudo é bom, mas não penso muito sobre isso. Minha vida parece natural, mais e mais. Foi uma decisão consciente vir para cá e deu certo”

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo