Premier League

Inspirado por Lampard, Van de Beek espera finalmente ter sequência ao ser emprestado para o Everton

Van de Beek mal jogou como titular na Premier League pelo Manchester United e, apesar do caos no Everton, terá mais espaço para se provar

Donny van de Beek passou a figurar nas principais listas de jogadores mais promissores do mundo quando, repetidas vezes, brilhou para o Ajax chegar às semifinais da Champions League 2018/19. A badalação tinha sentido e levou o Manchester United a bancar os €39 milhões pedidos por sua transferência. Em meio aos problemas em Old Trafford e eclipsado por Bruno Fernandes, o meia se tornou um dos jogadores mais subaproveitados dos Red Devils, mesmo que também não correspondesse tanto assim quando ganhava suas raras chances. Nos próximos meses, Van de Beek tentará recuperar o moral com o Everton. Emprestado até o final da temporada, o jogador de 24 anos precisará se provar num ambiente ainda mais caótico, mas com a possibilidade de ser protagonista na busca pela guinada da tabela com Frank Lampard.

Estava claro como Van de Beek não ficaria no Manchester United para o restante da temporada. Clubes como o Crystal Palace e o Valencia tentaram a contratação do meia, que optou pelo Everton. A situação dos Toffees na Premier League não inspira muito ânimo, com uma série de resultados ruins e a aproximação da zona de rebaixamento. Por outro lado, a chegada de Frank Lampard como treinador influenciou a escolha do holandês no fechamento do acordo. Ter as orientações de um treinador que foi um especialista em sua posição é um diferencial. Porém, o acerto dos Toffees com os Red Devils não prevê uma cláusula de compra ao final do empréstimo.

“Agora posso dizer que sou um jogador do Everton, estou muito feliz e mal posso esperar para ajudar o time. É um grande clube, há jogadores muito bons aqui e vim porque quero ajudá-los a subir na tabela. Espero trazer minhas qualidades, meu passe e, claro, marcar gols. É uma grande parte do meu jogo fazer gols e dar assistências, tentarei fazer isso novamente. E não é apenas ofensividade, você precisa defender como meio-campista e também posso fazer isso”, afirmou Van de Beek.

“Tive uma reunião positiva com o novo técnico. Temos as mesmas ideias sobre futebol e ele teve muita influência na minha decisão. Joguei contra ele quando estava no Ajax e ele treinava o Chelsea, então ele me conhece como jogador. Ele acha que tenho qualidades que podem ajudar o time. Posso aprender muito com ele, porque jogava mais ou menos no mesmo papel – um meio-campista que marca muitos gols. Ele pode me ajudar muito, então acho que estou num bom lugar. Quero melhorar com o Everton. Sempre há coisas que podem ser melhores e trabalho duro todos os dias para isso”, complementou.

O melhor momento da carreira de Van de Beek aconteceu no Ajax. A cria da base disputou cinco edições da Eredivisie, três delas como titular. O meia estourou mesmo em 2017/18, com ótima leitura dos espaços e chegada no ataque, mas foi em 2018/19 que seu reconhecimento se tornou maior. O sucesso na Champions League dependeu diretamente de seu rendimento, em especial pela atuação na classificação contra a Juventus. Os Ajacieden conseguiram segurar Van de Beek por mais um ano, mantendo o alto nível em 2019/20. Mas a oferta alta do Manchester United parecia irrecusável.

O insucesso de Van de Beek no novo passo da carreira o aproxima de antigos colegas de Ajax, como Frenkie de Jong e Matthijs de Ligt. O meio-campista, todavia, deixa a impressão de que teve menos oportunidades para se provar. Problemas físicos atrapalharam um pouco sua chegada em 2020/21, mas Ole Gunnar Solskjaer parecia não levar o meio-campista muito em consideração. Ele nunca teve uma sequência para emplacar no time principal, com apenas quatro partidas como titular na Premier League e parcos minutos em campo. A preferência por Bruno Fernandes diminuía seu espaço, mas sequer havia uma tentativa em conciliar os dois. Não seria muito diferente para 2021/22, com o holandês esquentando o banco – algo que se manteve também com Ralf Rangnick, que quase sempre relegou a ele os últimos minutos de cada partida.

A mudança para o Everton responderá se o problema de Van de Beek no Manchester United era falta de consideração dos treinadores ou realmente problemas para se manter em alto nível na Premier League. Pelo talento mostrado no Ajax e pelo valor da transferência, de fato ele merecia mais chances. Pareceu faltar paciência para encontrar seu melhor em Old Trafford. Já em Goodison Park, o novato deve chegar para jogar e ocupar a posição no time que será moldado por Lampard a partir de agora. Poderá entrar mais recuado ou como um armador, em posição carente desde que Gylfi Sigurdsson foi detido em meio às investigações de um caso de pedofilia.

Até pelas necessidades, o Everton tem feito uma das janelas de transferências mais movimentadas da Europa. Os Toffees tinham ganhado dois ótimos laterais, gastando alto com os jovens Vitaliy Mykolenko (Dynamo Kiev) e Nathan Patterson (Rangers). Anwar El Ghazi chegou por empréstimo do Aston Villa, ao passo que Lucas Digne foi vendido aos Villans. Dele Alli está na iminência de ser anunciado. No papel, Frank Lampard estará bem servido. A questão é que isso nem sempre tem correspondido em bons desempenhos do clube nos últimos anos.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo