Premier League

Harry Kane comandou uma goleada insaciável, digna do melhor futebol do Tottenham

Desde a última temporada, o Tottenham exibe um futebol de encher os olhos. Não é o time mais constante Premier League, a falta da taça indica isso. Entretanto, a ofensividade e a verticalidade da equipe de Mauricio Pochettino são inegáveis. Rendem muita intensidade e gols. Gols, como os que aconteceram aos montes nesta quinta, na visita ao Estádio King Power. Os londrinos não quiseram nem saber que a temporada já chega ao fim, que a segunda colocação está assegurada. Passaram o carro em cima do Leicester, sem qualquer piedade. Goleada por 6 a 1, que enfatiza o ótimo momento do clube e também de seus protagonistas, sobretudo Harry Kane e Heung-Min Son, os mais insaciáveis da noite.

O Tottenham deixou clara a sua postura desde os primeiros minutos. Buscava o ataque, não se cansava a arriscar a gol. Kasper Schmeichel realizou algumas defesas até ser vencido pela primeira vez, aos 25 minutos. Jogadaça que resume o melhor dos Spurs, em lançamento longo que veio do campo de defesa, Son aproveitou e serviu Kane dentro da área. Abriu a porteira. Os visitantes ampliariam dez minutos depois, com enorme liberdade oferecida pela defesa. Son recebeu passe de Dele Alli e fuzilou. Só um aperitivo do que viria no segundo tempo.

O Leicester até conseguiu diminuir, em saída desastrada de Hugo Lloris, que Ben Chilwell aproveitou. Só um lampejo, após minutos iniciais de pressão das Raposas. A partir disso, o Tottenham passeou. Kane anotou o terceiro na pequena área, cabeceando sem sair do chão, aos 18. Son fez grande jogada individual e marcou o quarto aos 26, em chute de fora da área. E o centroavante terminaria o seu show depois dos 44, em duas finalizações rasantes, sem qualquer resistência da marcação. Talvez Schmeichel pudesse ter feito melhor, mas também sofreu com a complacência de sua zaga e com a voracidade dos rivais.

Harry Kane, sobretudo, se coloca cada vez mais como um dos melhores centroavantes do mundo. O camisa 10 chegou a 26 tentos no campeonato, em apenas 29 partidas disputadas. É o quinto jogador da Premier League (desde 1992/93) que marca 25 ou mais em duas temporadas consecutivas, além de ser o quinto com três ou mais tripletas em uma mesma campanha. A diferença que faz ao ímpeto do ataque ficou visível durante o período em que se ausentou por lesão. Possui todos os predicados de um matador, potencializando ainda o coletivo dos Spurs. Não à toa, deu sete assistências, menos apenas que Christian Eriksen na equipe. Son, por sua vez, atinge seu ápice. Passou por momentos melhores e outros piores, mas tem grande contribuição no desempenho do time.

Assim como na última temporada, o Tottenham deixa a impressão de que pode crescer mais na próxima – por mais que necessitem encorpar o elenco, diante da jornada dupla na Liga dos Campeões, evitando os erros da última edição do torneio continental. A manutenção de seus destaques é uma indagação óbvia, até pelo nível de excelência que têm exibido. De qualquer maneira, a curva é ascendente. E esta postura em um jogo “morto” do final da campanha mostra bem como os comandados de Mauricio Pochettino querem mais. Podem mais, atuando desta maneira.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo