Premier League
Tendência

Haaland adicionou uma acrobacia fantástica à sua imparável contagem de gols e o City pulverizou o Southampton

Haaland chegou a 30 gols na Premier League com sua pintura, enquanto De Bruyne também deu show na goleada do City por 4 a 1

São muitos gols de Erling Braut Haaland na temporada. Muitos. Mais precisamente, 44 em 38 aparições, incluindo 30 tentos somente na Premier League. O recorde da liga é apenas uma questão de tempo e há lances para todos os gostos no repertório do centroavante. Mas não com a plasticidade da pintura assinada pelo artilheiro neste sábado: Haaland mandou uma acrobacia e ofereceu uma obra de arte na vitória por 4 a 1 sobre o Southampton, na visita ao Estádio St. Mary's. O norueguês obviamente se destacou, com dois tentos, incluindo o que abriu a vantagem num duro primeiro tempo. Kevin de Bruyne também gastou a bola para alcançar as 100 assistências na Premier League, envolvido em todos os quatro gols. São mais três pontos na conta para que o City continue no retrovisor do Arsenal, cinco pontos à frente.

O Manchester City apresentou sua credencial logo cedo, numa linda trama coletiva. Gavin Bazunu, entretanto, defendeu o chute de Jack Grealish. O primeiro tempo contou com uma posse de bola dominante dos Citizens, mas dificuldades para romper a marcação. E o Southampton poderia ter feito estrago aos 16, num contra-ataque com Kamaldeen Sulemana. Ederson evitou o pior ao se antecipar. O lance pareceu aumentar a confiança dos Saints, que marcavam com consistência e buscavam os escapes em velocidade.

As finalizações do Manchester City eram escassas, apesar do enorme volume de jogo da equipe. O time chegou a passar 17 minutos sem bater para o gol, até que Bazunu parasse Ilkay Gündogan aos 32. O Southampton inclusive ensaiava uma zebra. Haaland só começou a aparecer mesmo depois dos 40. O norueguês tentou primeiro uma cabeçada que saiu sem direção. O erro quase foi punido na sequência, em outro contra-ataque dos Saints, com o chute de Sulemana passando perto da trave. Porém, quando Haaland teve a segunda oportunidade, não desperdiçou. Kevin de Bruyne realizou um cruzamento excepcional. O centroavante cumprimentou de cabeça e correu para o abraço.

Com a vantagem, o Manchester City voltou mais leve para o segundo tempo. Tinha mais fluidez e mais espaços. Grealish acionou Gündogan para uma batida perigosa aos seis minutos. Já aos 13, o ponta anotou o segundo gol. Habilitado por De Bruyne, Grealish escapou muito bem pela esquerda e chutou para a defesa de Bazunu. O inglês pôde tentar novamente no rebote e não perdoou, referendando sua ótima fase. Enquanto as esperanças do Southampton desabavam, os Citizens sentiam que estava só começando.

A obra de arte da noite aconteceu aos 23 minutos. Começou de novo com De Bruyne, ao acionar Grealish em velocidade pela esquerda. O cruzamento perfeito chegou a Haaland, que então resolveu caprichar. Não importa se é uma bicicleta, uma meia-bicicleta, um voleio ou qualquer outra nomenclatura: o que vale é o golaço, que certamente entrará para o rol de maiores pinturas numa carreira desde já com tantos tentos. É também a habilidade de quem balança as redes de todos os jeitos, impressionando a altura em que elevou o pé. O centroavante seria substituído logo depois, muito aplaudido, por Julián Álvarez.

O Southampton até buscou um sinal de vida aos 27 minutos. Moussa Djenepo fez grande jogada pela esquerda e serviu o gol de Sékou Mara. Mas nem deu para comemorar muito. Logo na sequência, De Bruyne foi derrubado na área. Pênalti, que Álvarez converteu. Nem com o quarto gol o Manchester City estava satisfeito e, numa linda trama com De Bruyne, Bernardo Silva parou em Bazunu. Era um show no segundo tempo. Por fim, os minutos derradeiros ficaram um pouco mais frios. Os celestes se contentavam em rodar a bola e desfrutar.

O Manchester City alcança os 67 pontos na Premier League, com cinco vitórias consecutivas. Os celestes tentam colocar pressão sobre o Arsenal, cinco pontos à frente, antes do duelo contra o Liverpool neste domingo. Enquanto isso, resta saber quando Haaland vai quebrar o recorde de gols da era Premier League, só quatro tentos atrás das marcas de Alan Shearer e Andy Cole. É questão de tempo. Na lanterna, com 23 pontos, o Southampton permanece a quatro pontos de deixar o Z-3.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo