Premier League

Grealish: “Tomo o preço que o City pagou como um elogio, mostra como o clube e o treinador me valorizam”

Grealish preferiu afastar a pressão relativa ao valor de sua transferência e garantiu que isso dá confiança

Jack Grealish tinha uma relação umbilical com o Aston Villa. Formado na base do clube desde os seis anos de idade, o ponta nunca escondeu sua paixão pelos Villans e deixou a agremiação apenas durante um breve período no início de sua carreira, quando foi emprestado ao Notts County. Apesar de toda a história no Villa Park, porém, o camisa 10 não recusou a oportunidade quando o Manchester City bateu à sua porta. E, na primeira entrevista coletiva como jogador dos celestes, o inglês não negou o sentimento de tristeza que o tomou ao se despedir do Aston Villa. Ainda assim, o atleta de 25 anos seguiu em frente, ponderando as chances que terá para disputar títulos e figurar entre os melhores do mundo.

“Foi uma das decisões mais difíceis que já precisei tomar. Voltei para a pré-temporada como deveria. Obviamente era difícil, porque sabia no fundo que poderia sair, então não treinei de verdade, apenas fiz algumas coisas por conta própria. Todos viram como estava Messi na última coletiva com o Barcelona e foi exatamente assim que me senti”, revelou Grealish, durante a entrevista.

“Antes de sair, falei com o time e os funcionários no hotel, também chorei um pouco, mas achei que era hora de seguir em frente. Sempre disse que queria jogar a Champions e não podia fazer isso com o Villa nesta temporada. Estou num clube com muito potencial e que é o time inglês de maior sucesso na última década. Eles demonstraram muita fé em mim e eu senti que era o momento certo”, acrescentou.

Apesar do alto preço que o Manchester City pagou na transferência, quebrando a barreira dos nove dígitos em libras na Inglaterra, Grealish não vê isso como uma pressão extra. Pelo contrário, o camisa 10 tenta tirar o lado positivo da montanha de dinheiro paga ao Aston Villa e promete converter tal sensação em mais segurança dentro de campo, para se adaptar de imediato aos celestes.

“Significa muito para mim que o clube estivesse disposto a gastar tanto dinheiro comigo. No mínimo, isso me enche de confiança. Não acho que haja qualquer pressão com esse preço. Isso só mostra como o clube e o treinador me valorizam, apenas me dá confiança para seguir em frente. Tomo isso como um elogio. Na verdade, gosto de ser a contratação britânica mais cara, acho que é um bom rótulo para se ter”, analisou.

“Quando você vê um clube pagando tanto por um jogador, significa que valorizam você altamente e veem muito potencial para trabalhar. Analiso como uma coisa boa. Espero retribuir todo o clube ganhando o maior número de títulos possíveis e aquele troféu que todos queremos”, complementou.

Para Grealish, a Champions League foi um fator essencial em sua decisão. E o ponta também expressou seu desejo de conquistar o feito inédito pelo City: “O clube esteve tão perto de conquistar a Champions na última temporada, ficaram a um gol do título. É exatamente por isso que vim para cá – o treinador me disse quando eu mencionei. Olho ao redor do vestiário e há muito talento, muitas opções. Acredito plenamente que podemos ganhar nesta temporada. A qualidade em cada posição é absolutamente insana”.

Grealish revelou até mesmo como John Terry, antigo assistente do Aston Villa, teve influência em seu desejo de buscar a Champions pelo caminho mais curto: “Acredito que posso jogar essas partidas. Eu me lembro de assistir à final passada e o padrão do primeiro tempo foi especialmente fantástico. Estar envolvido seria a realização de um sonho. Falava com John Terry no Aston Villa sobre isso e ele dizia que, quando você estava lá e ouvia o hino da Champions, não havia nada melhor”.

Por fim, Grealish salientou como Guardiola e De Bruyne o atraíram a Manchester, bem como a seleção foi outro ponto considerado em sua mudança: “A chance de ganhar troféus, jogar com Kevin de Bruyne e ser comandado pelo melhor técnico do mundo também foram fatores decisivos. Também penso na seleção. Sinto que, se estiver jogando pelo Manchester City semana após semana, isso pode me ajudar a ter um futuro brilhante na equipe nacional e me ajudar a ser titular nas Eliminatórias e na Copa do Mundo”.

Grealish custou €117,5 milhões ao Manchester City. No último final de semana, o ponta realizou sua estreia na equipe, disputando os minutos finais da derrota para o Leicester na Community Shield. Já a primeira aparição na Premier League deve acontecer no domingo, quando os atuais campeões já abrem a nova campanha encarando o Tottenham fora de casa.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo