Premier League

Futebol demais pode ser ruim para o seu relacionamento, e é o Klopp quem está dizendo

Como é tradição no futebol inglês, a Premier League teve quatro rodadas em um intervalo de pouco mais de dez dias em meio às festividades de Natal e Ano Novo, incluindo a rodada do Boxing Day, no dia 26 de dezembro. Embora para quem esteja de recesso talvez seja uma ótima pedida para os dias de folga, muita gente do futebol quer pôr fim a um calendário tão pesado para os atletas e orquestrado para que as emissoras tirem o máximo de dinheiro possível a partir de tantas datas. Jürgen Klopp é uma das figuras mais proeminentes nesta frente – e ele tem um novo ângulo para abordar a questão: “Não acho que isso seja bom para o relacionamento das pessoas”.

[foo_related_posts]

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (3), Klopp se posicionou firmemente como porta-voz de uma rediscussão do calendário de virada de ano no Campeonato Inglês. Fazendo diversas analogias e apostando no humor, apelou, mais uma vez, para que levem em consideração o bem-estar dos atletas na hora de determinar essas rodadas.

“Se você tem um grande amigo e você o vê duas vezes por ano, ótimo, melhor momento da sua vida. Se você o vê todos os dias, depois de cinco dias você pensa: ‘Mas que droga’. Mas o que nós fazemos é jogar futebol nas pessoas. Quantos jogos aconteceram no Boxing Day?”, questionou.

Klopp, então, fez uma brincadeira para tocar o lado mais empático das pessoas, lembrando que quem está em um relacionamento fica numa situação delicada com tanto futebol na TV.

“Talvez tenha havido alguns homens que, provavelmente, viram todos eles ao vivo. Não acho que isso seja bom para o relacionamento deles. Não é bom para o meu, e eu já vejo muito futebol.”

Para Klopp, pessoas que não são do futebol são as que estão tomando essas decisões de calendário, e torcedores e jogadores deveriam ser incluídos na conversa. “A solução é unir essas pessoas e tentar pensar, em todas essas negociações, nos jogadores pelo menos uma vez. Outras pessoas estão lá tomando as decisões e elas não são do futebol. Precisamos falar com pessoas do futebol, acho que existe uma solução possível”, apontou.

Nessas rodadas de virada de ano, mais de 50 jogadores na Premier League se contundiram, em grande parte pela sobrecarga física de tantas partidas. O técnico do Liverpool defendeu que os responsáveis se sentem para conversar sobre isso e se ofereceu como porta-voz: “Adoramos esse esporte, mas, no fim das contas, precisamos garantir que o melhor time vença, e não o mais sortudo com as lesões. Se precisarem de mim nessa discussão, estou aqui”.

Com o sucesso e o estrelato que alcançou nos Reds, Klopp já seria um excelente nome para liderar as discussões públicas sobre o calendário saturado do futebol inglês. Mas, para além disso, o fato de que seu time lidera a Premier League com 13 pontos de diferença e tenha saído deste período atribulado com 100% de aproveitamento o coloca possivelmente como o melhor nome, ponto. Ninguém poderá dizer que é choro de perdedor.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo