Premier League

Fulham sofre goleada do Watford e sela o rebaixamento em uma temporada repleta de erros

Menos de um ano depois de vencer os playoffs de promoção da Championship, o Fulham está de volta à segunda divisão do futebol inglês. A equipe londrina sofreu uma goleada por 4 a 1 do Watford, em Vicarage Road, e está matematicamente rebaixado na Premier League, um saldo final que contrariou todas as expectativas do início da temporada.

[foo_related_posts]

O Fulham até tentou adiar o inevitável. Depois de sair atrás do placar em gol de Doucouré, aos 22 minutos, os Lillywhites buscaram o empate ainda no primeiro tempo, em boa jogada de Ryan Sessegnon, que tocou para o xará Ryan Babel dominar a bola já tirando o goleiro Ben Foster do lance. Mas o Fulham não conseguiu manter o ritmo do fim da primeira etapa e degringolou no segundo tempo. Aos 19 minutos, Will Hughes marcou um golaço em chute de primeira com o pé esquerdo após sobra de escanteio e colocou o Watford novamente na frente. Em seguida,  Troy Deeney e Kiki Femenía marcaram um gol cada e decretaram o rebaixamento do Fulham.

A decepcionante temporada, com a pior campanha da história do clube na elite do campeonato inglês, foi construída a partir de uma série de erros. Após conquistar o acesso com um futebol envolvente sob o comando do sérvio Slavisa Jokanovic, o Fulham recebeu um alto investimento de seu proprietário, o paquistanês Shahid Khan. Pela primeira vez na história da Premier League, um time vindo da Championship gastou mais de € 100 milhões de euros na janela de transferências de verão. E embora, na teoria, tenha feito boas escolhas, na prática isso não se confirmou.

A começar pela defesa, que nunca funcionou. Os reforços para o setor não renderam o esperado e alguns sequer conseguiram manter a titularidade, como o holandês Fosu-Mensah. O péssimo início, com nove derrotas nas doze primeiras partidas e uma sequência de seis derrotas consecutivas foram o estopim para que Jokanovic fosse demitido do cargo de treinador em novembro. Apesar do mau desempenho, o sérvio tinha um estilo de jogo bem definido, que priorizava a posse de bola e o jogo horizontal, algo que se encaixava bem às características do elenco formado. Para o lugar de Jokanovic, a direção do Fulham optou pelo italiano Claudio Ranieri, um treinador que a despeito do vitorioso trabalho no Leicester, é conhecido pelo conservadorismo e por ser defensivista, em um perfil completamente contrário do antecessor. A ideia, certamente, era tentar ajeitar a cozinha. Sob a tutela de Ranieri, o jogo se verticalizou, tentando aproveitar ao máximo o jogo físico de Mitrovic. Embora tenha existido uma pequena melhora, a defesa continuou uma peneira, e o treinador foi demitido apenas quatro meses depois, em fevereiro. Nesse meio tempo, na janela de inverno, o Fulham assinou com Ryan Babel, que estava no Besiktas, da Turquia, sem custos, que pouco acrescentou ao elenco.

Para o lugar de Ranieri, o Fulham promoveu o auxiliar Scott Parker como treinador interino, e voltou a praticar um futebol mais similar ao de Jokanovic. Mas novamente, o setor defensivo foi o calcanhar de Aquiles da equipe. O jogo com o Watford foi a 13ª partida consecutiva tomando dois gols ou mais, alcançando a inacreditável marca de 76 gols sofridos, 17 gols a mais do que a segunda defesa mais vazada da Premier League.

Além dos problemas táticos, o Fulham também se decepcionou com o desempenho individual de alguns jogadores. A joia Ryan Sessegnon, de apenas 18 anos, não chegou nem perto do apresentado na Championship, onde chegou até a ser cogitado para a seleção inglesa. O alemão Andre Schürlle, um dos principais nomes contratados, marcou apenas 6 gols em 23 jogos na temporada. O francês Jean Michaël Seri, contratado por € 30 milhões, marcou apenas 1 gol, mesmo sendo titular por toda a temporada.

O Fulham foi o exato oposto ao Wolverhampton, que contratou melhor pela metade do valor gasto pelo time londrino e realizou uma campanha exemplar no retorno à elite. Agora, assim como em 2014, na última vez que o Fulham havia sido rebaixado, o trabalho terá que ser começado novamente do zero e com muitas lições a serem aprendidas dessa passagem meteórica pela Premier League.

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo