Premier League

Fletcher correu o risco de parar de jogar. Agora, chegou a 100 partidas seguidas de Premier League

Os primeiros sinais apareceram quase dez anos atrás, mas foi apenas em 2010 que a doença atingiu Darren Fletcher com tudo. Uma inflamação crônica no intestino levava-o ao banheiro até 30 vezes por dia e causava muita perda de sangue. Condições impeditivas para o exercício da sua profissão como jogador de futebol profissional. Durante o tratamento, perdeu quase duas temporadas inteiras pelo Manchester United e ouviu diagnósticos de que talvez fosse obrigado a pendurar as chuteiras. No último fim de semana, Fletcher, atualmente no Stoke City, disputou sua 100ª partida seguida de Premier League.

LEIA MAIS: De Murtaza a Abelão, estes foram os dois minutos mais importantes no Fifa The Best

Um feito que, no caso de Fletcher, significa muito, mais do que gols, talvez até mesmo do que um título, porque demonstra que o seu corpo está completamente recuperado de uma doença debilitante. Afinal, são poucos os que conseguiram uma sequência tão grande na era moderna do Campeonato Inglês. Segundo a BBC, ele é o oitavo jogador de linha a passar da marca centenária. O recordista é Frank Lampard, com 164. Contando goleiros, é Brad Friedel, com 310.

Flechter chegou a atuar por alguns meses com a doença já acentuada. Em dezembro de 2011, o Manchester United anunciou que se afastaria dos gramados para se tratar. Ele retornou na temporada seguinte, mas fez apenas 12 partidas antes de se submeter a uma das três cirurgias que foram necessárias para que ele melhorasse. Voltou de vez no final de 2013, mas, completamente fora de forma, teve poucas oportunidades no Manchester United.

Acertou com o West Brom e deu início à sequência contra o Burnley, em 8 de fevereiro de 2015. Completou a Premier League de 2014/15 com 15 partidas. Atuou em todas as 76 rodadas das duas temporadas seguintes, somando 91 jogos. Chegou a 100 com as nove primeiras rodadas da atual edição da liga inglesa, pelo Stoke City.

Outro dado interessante é que ele só foi substituído em seis dessas partidas e em apenas uma saiu do banco de reservas. Ou seja, atuou os 90 minutos em 93 desses 100 jogos. Um feito incrível para um jogador que correu o risco de encerrar a sua carreira precocemente.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo