Premier League

Exigente “desde criança”, Bruno Fernandes estabelece as expectativas no United: “Troféus”

Meio-campista vê evolução na equipe desde sua chegada em 2020, mas admite que ainda resta confirmar melhora com títulos

Ao longo do tempo, por meio de declarações aqui e ali e de demonstrações de frustração com jogadas desperdiçadas ou gol sofridos durante partidas, ficou claro que Bruno Fernandes, desde o momento em que chegou ao Manchester United, ajudou a aumentar o nível de exigência dentro do grupo. Em entrevista à edição desta semana da revista FourFourTwo, o meio-campista reforçou sua personalidade rigorosa e declarou que um clube como o United só pode ambicionar uma coisa: títulos.

Questionado sobre o que seria sucesso para este Manchester United, Fernandes foi taxativo: “Troféus”. “Não podemos pensar em outra coisa neste clube. O United é feito para ganhar troféus, e todo o ambiente é em torno disso. Alcançamos as semifinais (da Copa da Liga Inglesa) e perdemos para o City, mas isso não é o bastante. Não foi a nossa vez. Precisamos estar em finais e vencê-las”, cobrou o português.

Bruno Fernandes afirmou que, desde sua chegada ao Manchester United, sentiu no vestiário um grupo com o desejo de fazer melhor. “No dia em que assinei com o clube, tivemos um jogo com o City fora de casa (falando da semifinal da Copa da Liga em janeiro de 2020). Vencemos a partida, mas não avançamos por causa do placar agregado. Vi um time que queria melhorar, que tinha muito a melhorar.”

Desde então, o progresso é claro – e muito graças à própria contribuição do camisa 18. Ainda assim, a insatisfação positiva permanece, e, se depender de Fernandes, ela será sempre uma segunda natureza no clube.

“Mesmo agora, sabemos que temos muito a melhorar e sabemos que, quando nossos resultados não são bons, o ambiente não é o melhor. Consigo ver isso, porque quando perdemos eu também não estou no meu melhor. Meu humor é muito ruim no dia seguinte a uma derrota. O time queria uma mentalidade vencedora e precisava de uma”, avaliou.

Companheiros de Manchester United descrevem Bruno Fernandes como alguém exigente desde a contratação do português no início de 2020. O próprio meio-campista reconhece isso, admitindo ser alguém difícil de lidar no rescaldo das derrotas.

“Eu diria que, possivelmente, uma palavra para me descrever é ‘exigente’. Eu posso ser difícil de entender quando eu perco, eu fico de mau humor. As pessoas mais próximas de mim sabem que não fico feliz quando perco. Eu era assim quando criança e não mudei, então elas sabem como lidar comigo.”

Avaliando a Premier League como um campeonato particularmente difícil, Fernandes sabe que o desafio de voltar a vencer o título não será fácil ao Manchester United, que não levanta o caneco desde 2013. Reconhecendo que ainda resta muito para que o clube chegue no patamar necessário para conquistar a liga, o português ainda assim enxerga uma melhora na equipe, destacando a campanha de segundo lugar na atual edição mesmo após um momento de descrença no início da temporada.

“É difícil na Inglaterra, porque os jogos são muito acirrados. Todo time tem genuinamente uma chance de vencer a partida. É 50/50 antes de cada jogo, e vemos isso nos resultados. Mas estamos melhorando. Não podemos perder tantos pontos quanto perdemos em casa, mas temos estado em segundo, e no começo da temporada não havia muita gente dizendo que o United seria o segundo colocado.”

Muito distante do Manchester City na Premier League (14 pontos, ainda que com um jogo a menos), eliminado pelos rivais locais na semifinal da Copa da Liga Inglesa e pelo Leicester nas quartas de final da Copa da Inglaterra, ainda resta ao Manchester United uma oportunidade de título na temporada: a Liga Europa. O clube é um dos quadrifinalistas e enfrenta o Granada, com o jogo de ida marcado para esta quinta-feira (8).

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo