Carlo Ancelotti cobrou atitude, mentalidade e personalidade de seus jogadores depois da derrota por 3 a 0 para o no fim de semana. Cobrou mais luta, de acordo com o “DNA do clube”, e o fez no site oficial do Everton. Uma clara mensagem, especialmente porque se espera grandes mudanças no elenco antes da primeira temporada completa do italiano. Pelo menos em um primeiro momento, os jogadores não responderam. Fizeram mais uma atuação fraca, nesta quinta-feira, e o Aston Villa tem muito a lamentar por não ter ido além do empate por 1 a 1.

O que faltou de atitude ao Everton sobrou ao Aston Villa que, mesmo com suas limitações técnicas, tentou buscar a vitória, abriu o placar e quase matou o jogo antes de levar o empate. Deixou de ganhar dois pontos que podem ser vitais para sua permanência na Premier League. Está na vice-lanterna agora, a três pontos de e West Ham, imediatamente acima da zona de rebaixamento. A sorte é que ambos se enfrentam nesta sexta-feira e pelo menos um deles ainda ficará ao alcance para as duas rodadas finais.

A tabela, porém, não é tão desfavorável ao Aston Villa, em relação aos competidores, e há um confronto direto com o West Ham na última partida, que pode ser uma final de campeonato caso os Hammers tropecem duas vezes até lá, e um dos jogos é contra o Manchester United. Os duelos finais do Watford são bem difíceis, e apenas o Bournemouth tem compromissos teoricamente mais tranquilos, contra equipes já sem ambições.

16º – West Ham – 34 pontos – saldo de -15: Watford (C), Manchester United (F), Aston Villa (C)

17º – Watford  –  34 pontos – saldo de -21: West Ham (F), City (C), Arsenal (F)

18º – Bournemouth – 31 pontos – saldo de -25: Southampton (C), Everton (F)

19º – Aston Villa – 31 pontos – saldo de -27: Arsenal (C),  West Ham (F)

Depois de um primeiro tempo muito fraco, o Villa começou a sentir que poderia ousar um pouco mais e assumiu o controle do jogo. Ocupava o campo de ataque, tentava buscar um espaço, e era sempre Grealish quem conseguia. Teve duas boas ações pela esquerda da grande área, com um chute rasteiro perto da trave e outro colocado que passou perto. Aos 27 minutos, Conor Hourihane cobrou falta da direita e esticou-se para marcar.

Era para o Villa ter matado o jogo alguns minutos depois, quando Grealish soltou um cruzamento fechado para a segunda trave, onde Anwar El Ghazi apareceu livre e, na boca do gol, na pequena área, mandou por cima do . Em seguida, André Gomes cruzou alto da esquerda, e Walcott cabeceou no contrapé. Konsa se esforçou para tentar cortar, mas não conseguiu.

As do treinador Dean Smith e dos jogadores do Aston Villa disseram tudo: uma grande oportunidade havia sido desperdiçada, e a sobrevivência ficou mais difícil.

.

.

Classificações Sofascore Resultados

.

.