Premier League

Everton e Tottenham fizeram um grande jogo, mas o empate é ruim às pretensões de ambos

Sigurdsson e Kane marcaram dois gols cada, mas o centroavante preocupa ao sair lesionado no fim

A rodada da Premier League mal começou, mas já tem um forte candidato a melhor jogo do final de semana. Everton e Tottenham fizeram uma animada partida em Goodison Park, na qual o placar de 2 a 2 dimensiona bem a quantidade de chances criadas – com Gylfi Sigurdsson e Harry Kane balançando as redes duas vezes cada. Porém, o resultado não é bom para nenhum dos times. Ambos entraram em campo pressionados diante do momento ruim e só um ponto não é suficiente às pretensões. No fim, tanto Spurs quanto Toffees podem se distanciar ainda mais da zona de classificação à Champions League.

Apesar das emoções elevadas, o jogo levou um tempo para pegar no tranco, com certa alternância entre os times de início. O Everton, no entanto, poderia ter saído em vantagem aos 22. James Rodríguez encontrou Richarlison com um ótimo passe e o brasileiro bateu para o gol, mas Hugo Lloris fez ótima defesa para salvar. A resposta do Tottenham guardaria o primeiro tento da noite, aos 26. Depois do cruzamento de Tanguy Ndombélé, a defesa dos Toffees não conseguiu cortar e Harry Kane pegou sozinho. Então, o artilheiro foi fatal, ao dominar com estilo e dar uma chicotada no canto.

A sorte do Everton é que o time ganhou um pênalti logo na sequência, com James caindo na área após o contato de Sergio Reguilón – bem leve, mas por trás. Gylfi Sigurdsson só deslocou Lloris na cobrança, empatando aos 31. Os Toffees cresceram com o gol e passaram a pressionar pela virada até o intervalo. Lloris tinha trabalho e realizou uma defesaça aos 38, num chute à queima-roupa de James em seu contrapé. Os anfitriões ainda tiveram bons lances em cruzamentos à área, mas sem concluir com precisão.

O segundo tempo viu o Tottenham acordar, dando seu primeiro sinal de vida com Son Heung-min, que parou em Jordan Pickford na linha de fundo. Neste momento, o jogo ficou aberto e os dois times iam para cima, com chances de ambos os lados. Os Spurs triscaram a trave aos 12, numa cabeçada de Toby Alderweireld após escanteio. Na sequência, Richarlison teve um gol bem anulado por impedimento. Contudo, o Everton conseguiria mesmo a virada antes, aos 17. Seamus Coleman tabelou com Richarlison pela direita, numa linda construção. O lateral cruzou rasteiro e Sigurdsson apareceu para emendar um lindo tiro de primeira, sem chances de reação para Lloris. Finalização de quem sabe.

José Mourinho tentou dar mais ofensividade ao Tottenham, com as entradas de Erik Lamela e Lucas Moura. Mas seria Kane o responsável pelo empate, aos 23. Numa jogada apertada pela direita, Lamela cruzou e a defesa do Everton cometeu uma trapalhada imensa. Kane estava solitário após a rebatida errada e chutou de primeira às redes, fuzilando Pickford. Os 20 minutos finais pareciam suficientemente abertos a qualquer um dos lados.

Os Spurs seguiram mais perigosos por um tempo e Kane acertou uma cabeçada na trave. Todavia, os Toffees renasceram com as mudanças no fim e poderiam ter feito o terceiro, em mais uma jogada construída por James. Joshua King carimbou Lloris, antes que Richarlison isolasse por cima do travessão. Nos acréscimos, Ben Godfrey também perdoou o terceiro dos anfitriões. E os londrinos temeram o pior não pelo resultado, mas porque Kane terminou substituído por lesão – algo péssimo tendo em vista a decisão da Copa da Liga no próximo final de semana, contra o Manchester City.

O Tottenham aparece à frente na tabela, com 50 pontos, mas acumulando a terceira rodada consecutiva sem vencer. O momento não empolga, mesmo com Kane se isolando na artilharia, com 21 gols. Já o Everton atravessa uma seca ainda maior, de cinco rodadas sem vencer e três empates consecutivos. Os Toffees pelo menos têm um jogo a menos em relação aos Spurs, mas o G-4 se torna um sonho gradativamente mais distante. O West Ham, que abre a zona de classificação à Champions, tem 55 pontos.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo