Premier League

Em Unai Emery, o Aston Villa terá um enorme trunfo para atingir seu objetivo de brigar na parte de cima da Premier League

Depois de ser procurado pelo Newcastle, o técnico espanhol aceitou trocar o Villarreal pelo Campeonato Inglês e será o comandante mais qualificado fora do Big Six

Quando demitiu Steve Bruce, e antes de contratar Eddie Howe, o Newcastle não conseguiu convencer Unai Emery a abandonar o Villarreal e retornar à Premier League. O Aston Villa conseguiu. Nesta segunda-feira, o clube de Birmingham anunciou o substituto de Steven Gerrard, que deixa o Submarino Amarelo em meio de temporada após uma título de Liga Europa e uma semifinal de Champions League. Para as ambições do Villa, um técnico incrivelmente (talvez até excessivamente) qualificado.

É verdade que Emery não deixou uma boa impressão na Inglaterra pelo seu trabalho à frente do Arsenal. Também pegou uma situação difícil, imediatamente depois de Arsène Wenger e com um elenco que não estava jogando tudo que podia, tanto que o plano de Edu Gaspar envolvia despachar jogadores mais velhos e mais caros, junto com a contratação de um técnico que tivesse uma identidade mais bem definida. Mikel Arteta está bem no momento, mas precisou de alguns anos e de quase uma revolução em seu plantel, agora recheado de muitos jovens.

Além da passagem turbulenta pelo norte de Londres, Emery também não se mostrou à altura do desafio em um patamar de exigência maior ao assumir o Paris Saint-Germain. Havia um ponto de interrogação razoável, que ele respondeu com sobras com duas campanhas em sétimo lugar em La Liga, mas principalmente com as caminhadas no futebol europeu. Derrotou o Manchester United para levar mais um título de Liga Europa e eliminou Juventus e Bayern de Munique a caminho dos quatro melhores da Champions League.

Junto com o que fez à frente do Sevilla, são credenciais especiais para a posição do Aston Villa dentro da Premier League. Integra o segundo escalão, abaixo do Big Six, com poder de investimento, mas sem a capacidade de atrair grandes nomes do mercado por não disputar competições europeias com regularidade. A prioridade é montar um time coeso que joga mais do que a soma das suas peças, exatamente o que Emery se mostrou capaz de fazer, principalmente em Valencia, Sevilla e Villarreal.

É também uma demonstração de força financeira (mais uma) da liga inglesa conseguir atrair um dos melhores treinadores de La Liga para um dos seus times secundários. Não muito diferente do Leeds com Jesse Marsch, por exemplo, cujo último trabalho havia sido o RB Leipzig. Ou mesmo o Brighton com Roberto de Zerbi, que tinha capacidade de treinar em uma hierarquia maior na Itália e estava no Shakhtar Donetsk. Emery será o técnico mais qualificado fora do Big Six.

Além da questão financeira, segundo o Marca, Emery também foi atraído pelo projeto esportivo e pela possibilidade de investimentos, o que ele não teve muito à disposição no Villarreal, mesmo com uma boa relação com os diretores. Ele também considerou que a pausa da Copa do Mundo tornaria uma mudança de comando menos dramática – especialmente em equipes que não necessariamente vão enviar todos os seus principais jogadores às seleções que estarão no Catar.

Esse investimento terá que esperar pelo menos até janeiro. Os principais reforços contratados por Steven Gerrard na última janela de transferências, aliás, estão machucados (Diego Carlos e Boubacar Kamara) ou não estão jogando muito bem, como Philippe Coutinho. A primeira missão é se afastar da zona de rebaixamento ganhando mais jogos de Premier League. O Villa conseguiu apenas cinco – contando a do último fim de semana, após a saída de Gerrard – desde o começo de março.

Depois disso, tentará começar a construir a visão dos donos do Aston Villa, que colocaram muito dinheiro para o campeão europeu brigar na parte de cima da tabela. Eles deram um voto de confiança para Dean Smith, que conseguiu o acesso, e fizeram uma aposta válida em Gerrard, que havia dado bons sinais à frente do Rangers. Nenhum deles deu certo. O Villa, agora, buscou a maior certeza que o seu status atual permite. Emery deve ser um grande trunfo para as suas ambições.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo