James Maddison vive excelente temporada com o Leicester City. A equipe faz campanha surpreendentemente boa na Premier League, ocupando a terceira colocação atrás apenas de Manchester City e Manchester United, e Maddison é o principal nome criativo das Raposas. Em 2020/21, acrescentou ao seu repertório mais gols e assistências, e deve isso a dois pilares, segundo ele mesmo: e a cobrança dos outros e dele próprio. Nesta toada, torce para estar na convocação para defender a Inglaterra na Eurocopa, entre junho e julho deste ano.

Em entrevista à BBC, Maddison exaltou a importância de Brendan Rodgers não só no desenvolvimento de seu futebol, mas também no de seus companheiros. Para o meia, ter um técnico que se importa tanto com seus atletas como o escocês é um presente.

“Ele (Brendan Rodgers) é um treinador de altíssimo nível, temos sorte de tê-lo aqui. Cada jogador se tornou um jogador melhor com ele, isso é um fato. Ele se importa em fazer de você um jogador melhor. Quando você tem um treinador que faz o máximo para que você se torne um jogador melhor, isso é ótimo. Quero ser o melhor que eu possa ser. Para isso, coloco pressão em mim mesmo. Quero que todos me questionem, porque é isso que me motiva”, declarou o camisa 10.

Resgatando uma fala do mês passado, em que revelou como o alerta de Jamie Carragher de que precisaria de mais gols e assistências se quisesse se destacar e chegar à seleção inglesa, Maddison afirmou que, enquanto algumas pessoas gostam de passar despercebidas, “e isso não está errado”, com ele é o oposto que funciona: “Quero meu nome na boca de todos”.

“Uma das coisas que me fez conseguir vários gols e assistências nos últimos meses foi que eu ouvi o Jamie Carragher dizer que meus números não eram bons o bastante. Eu não me encolhi depois disso, aquilo acrescentou combustível no meu motor. Eu sempre acredito em mim mesmo, porque foi isso que me trouxe aonde estou hoje”, afirmou.

Embora lembre que estatísticas não são tudo, e que aspectos como liderança, personalidade e espírito de equipe contam muito no pacote completo, Maddison se resigna com o estado atual das coisas: “Hoje em dia, é isso (números) que muita gente olha quando estão comparando as pessoas. É sempre gols, assistências e chances criadas”.

Com o objetivo de ir à Eurocopa em mente, o meia do acredita que, especialmente no futebol de seleções, a produção ofensiva é essencial para convencer o técnico de que merece seu espaço.

“Você precisa estar marcando e dando assistências, é simplesmente um fato. Você precisa estar produzindo. Especialmente a nível de seleção, você precisa ter a confiança do treinador para entrar e produzir para ele, é simples assim.”

Neste sentido, Maddison está bem servido. Após 29 jogos na temporada, já soma nove gols e dez assistências. Pela Premier League especificamente, são seis tentos e sete passes para gol em 21 jogos.

“Com muito da temporada ainda por vir, estou perto dos dois dígitos em gols e assistências já. Contanto que eu possa seguir melhorando a partir disso, sempre irei acreditar em mim mesmo.”