Premier League
Tendência

De Gea não merecia o final horroroso que o Manchester United deu a ele

Após mais de uma década, United dispensa o goleiro em situação no mínimo bastante indelicada

David De Gea não é mais jogador do Manchester United após 12 anos e não realizará o desejo de se aposentar pelo clube que revelou recentemente. Da chegada em julho de 2011 até sua saída no mesmo mês, mas em 2023, o goleiro espanhol passou por muitas fases em um time que também viveu muitos altos e baixos. De boas lembranças, títulos que hoje soam como sonho distante para os Red Devils e uma das mais duradouras relações entre jogador e clube dos últimos anos. Uma relação que não merecia o final horroroso que o United deu a ela.

A saída de De Gea não era esperada há dois meses atrás, quando ele chegou a negociar com o United. Mais do que isso, recebeu uma proposta e a assinou. Nela, aceitou drástica redução de salário, no mínimo um gesto de boa vontade goleiro. Mas os Red Devils simplesmente ignoraram o acordo e, há três dias do final do acordo, anunciaram que ele não seria mais confirmado. Sim, mesmo depois de ter sido assinado.

Manchester United não respeitou história de De Gea

É direito do Manchester United, como é de qualquer clube, trocar um jogador que não esteja agradando. É fato que De Gea, nos últimos anos, já não passava a confiança que passou em seus tempos áureos. O clube poderia aproveitar o final do contrato e ter simplesmente o avisado desde sempre: não vamos contar com você para a próxima temporada. Afinal, estamos falando de um atleta com 545 partidas pelo time. Não é qualquer coisa.

O espanhol chegou em Manchester em outros tempos para o clube e para ele mesmo. Era uma promessa que despontava após uma temporada incrível pelo Atlético de Madrid, que o revelou para o futebol. Já o time no qual desembarcava era um dos peso-pesados da Europa. Champions League, Premier League, copas, Mundial. O Manchester United havia conquistado tudo em um período recente e adição do então promissor goleiro espanhol era vista como um símbolo de continuidade dessa dinastia interna que durava anos nas mãos de Sir Alex Ferguson.

De Gea pegou apenas as vacas magras no United

Durava. E nas mãos dele. De Gea viveu de perto o fim da Era Ferguson, encerrada no 2013 em que o Manchester United foi campeão da Premier League pela última vez. Já se vai uma década completa. E o goleiro espanhol acabou, de maneira justa ou não, sendo um dos símbolos de um tempo de vacas mais magras no lado vermelho de Manchester. E de vacas muito gordas do lado azul, algo que a torcida definitivamente não estava acostumada a ver. Mas a culpa disso nunca foi de De Gea.

Pelo contrário, ele passou por 545 partidas em meio a tudo isso. Falhou, salvou, como acontece com todo goleiro que passa por um clube do tamanho do Manchester United. Foram 37.290 minutos com a camisa dos Red Devils na Premier League. Se passasse esse tempo todo parado no gramado de Old Trafford, De Gea simplesmente teria que ficar por ali por oito meses e meio. Um tempo considerável e que merecia mais cuidado na hora de ser encerrado. Até porque o goleiro deixa Manchester em uma situação na qual não será simples arrumar um novo clube.

Para onde De Gea deve ir após sair do United?

A resposta é difícil e complexa e por isso mesmo foi tão ruim para De Gea que o United tenha voltado atrás em sua palavra. Essa temporada de transferências começou especialmente agitada para os goleiros e muitas movimentações já foram feitas nesse sentido. Existem goleiros envolvidos em rumores de vários lados, como David Raya, do Brentford, e Andre Onana, da Internazionale. Dois jogadores, inclusive, que podem pintar em Manchester como subsitutos de De Gea. Com a confirmação de que o espanhol não fica, aumentaram os rumores de que Onana deixará a Itália e desembarcará como herdeiro da 1 no United. Mas nada está certo.

Para De Gea sobra uma complicada equação que, no momento, parece ter dois finais prováveis: manutenção do altíssimo salário com uma possível ida à Arábia Saudita, que tem absorvido diversos jogadores na mesma situação que ele com salários astronômicos, ou continuidade na Europa, no alto nível, com uma redução de salário que poderia não ser drástica, mas teria de ser ao menos relevante. 

De qualquer maneira, independente do destino que essa situação venha a ter, fica a má impressão final deixada pelo United. De Gea não precisava ser tratado como uma lenda do clube, coisa que sinceramente nem é e não chegou perto de ser. Mas merecia mais respeito pela década em que passou lá. 

Os títulos de De Gea pelo Manchester United

  • 1x – Premier League (2013)
  • 1x – Liga Europa (2017)
  • 1x – FA Cup (2016)
  • 2x – Copa da Liga Inglesa (2017 e 2023)
  • 3x – FA Community Shield (2012, 2014 e 2017)
Foto de Leonardo Sacco

Leonardo Sacco

Formado em Jornalismo pela Cásper Líbero, fez categorias de base na TV Gazeta, Olheiros e Impedimento, se profissionalizou no Yahoo e desde junho de 2023 é coordenador de conteúdos da Trivela.
Botão Voltar ao topo