Premier League

Com time misto, Liverpool cumpre seu papel contra o Newcastle na briga pelo título

Partida teve Dubravka como herói do Newcastle, que se mostrou mais confiante em campo

Não havia muita opção para Jürgen Klopp se não poupar alguns de seus principais nomes na rodada deste sábado (30) da Premier League. Diante do Newcastle, fora de casa, os Reds cumpriram seu papel na luta contra o Manchester City pelo título e venceram pela vantagem mínima em St. James’s Park.

O contexto da partida era bastante claro: o Liverpool precisava vencer de maneira econômica para manter a disputa ao seu alcance, enquanto aguarda o jogo de volta da Liga dos Campeões contra o Villarreal, de olho em mais uma participação em decisões continentais. A vantagem contra os espanhóis é boa, mas Klopp não é bobo: com Mohamed Salah, Trent Alexander-Arnold, Thiago Alcântara e Fabinho no banco, o Liverpool teve algumas figuras mais experientes como titulares. Foi o caso de James Milner, que fez excelente partida e foi crucial na armação de jogadas. No ataque, Sadio Mané e Luís Díaz comandaram as ações.

O Newcastle, que já se estabeleceu no meio da tabela, tem como objetivo apenas ganhar mais confiança para a próxima temporada, de maneira que qualquer jogo em casa sirva para tentar aproximar o elenco da torcida. Nesse sentido, apesar da derrota, os Magpies demonstraram um bom poder ofensivo e se seguraram muito bem contra um dos ataques mais temidos do planeta. O que a defesa alvinegra não pôde impedir foi o gol de Naby Keita, que definiu o confronto: aos 19 minutos, Milner interceptou a bola em um ataque do Newcastle, acionou Jordan Henderson, que achou Keita em pleno movimento na diagonal. O guineense então tabelou com Diogo Jota e, com enorme frieza, costurou pelo meio da área. Um único drible tirou o goleirão Martin Dubravka e dois defensores do lance, e só restou a eles observar a bola passando rumo ao fundo do barbante.

Golaços como esse mostram a facilidade que o Liverpool tem para criar espaços em campo. Muitas vezes as defesas não permitem infiltrações e finalizações de média distância, e é nessas situações que a troca de passes inteligente dos Reds desequilibra. Seja com Salah, com Jota ou Díaz, essa dinâmica encurta o espaço até a pequena área, onde o barulho realmente acontece, independente do adversário.

Após o gol sofrido, o Newcastle de Eddie Howe cresceu. Forçado a trocar um de seus defensores, Fabian Schär, que se lesionou, Howe botou Jamaal Lascelles na vaga do suíço e não perdeu qualidade. Apesar da superioridade dos visitantes na etapa inicial, Dubravka mostrou reflexos apurados para deixar o placar como estava. Até o apito final, o goleiro tcheco acumulou nove defesas, impedindo uma goleada merecida por parte do Liverpool.

No retorno do intervalo, o Newcastle voltou melhor e tentou ameaçar a dupla Virgil van Dijk-Joel Matip. Mas as duas melhores chances criadas não chegaram a causar o menor calafrio em Alisson. A primeira, com Chris Wood (que entrou no segundo tempo na vaga de Joe Willock), uma dividida despretensiosa na linha da pequena área, foi favorável ao arqueiro brasileiro. E depois com Bruno Guimarães, destaque dos Magpies, que arriscou de longe e viu Alisson cair lentamente para agarrar a bola no chão.

O volume de jogo apresentado, mesmo em uma tarde pouco inspirada, ajuda a explicar o momento do Liverpool como bicho-papão: foram 24 finalizações contra apenas 4 do Newcastle, sendo 10 delas no gol. E a posse de bola massacrante, sempre acima dos 60%, ditou o ritmo na vitória simples dos comandados de Klopp. O título, embora restem poucas rodadas, está longe de ser definido. Afinal de contas, o Liverpool completou hoje sua 34ª partida na Premier League e, pelo menos até o início da tarde de hoje, deve permanecer na liderança. O Manchester City pega o Leeds, que busca garantir sua sequência na elite inglesa.

Enquanto isso, o Newcastle saiu de uma situação desesperadora para uma nona colocação em pouco menos de três meses. Essa arrancada dos novos milionários da Premier League deve ser o pilar de sustentação para o momento de fartura que o clube viverá a partir da próxima temporada. Fora de campo, Howe tem sua responsabilidade pelo bom momento. Dentro dele, é Bruno Guimarães a estrela que os Magpies procuravam para mudar um pouco a perspectiva do elenco.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo