Premier League

Bruno Fernandes vai ao resgate de Solskjaer e lidera virada do United sobre o Everton

Mais uma vez, não foi bonito de ver, porém, na fase que atravessa o Manchester United, o simples resultado positivo já é suficiente. Contra um Everton igualmente frágil, os Red Devils voltaram a vencer na Premier League após dois tropeços, com dois gols e uma assistência de Bruno Fernandes fazendo a diferença no triunfo por 3 a 1, de virada, no Goodison Park.

[foo_related_posts]

O primeiro tempo guardou a maior parte das emoções do jogo, que teve uma segunda etapa de baixo nível de ambos os lados. Aos seis minutos de partida, quem teve a primeira chance foi o Everton. James Rodríguez abriu com Bernard pela esquerda, o brasileiro trouxe para dentro e levantou a bola cruzada para cabeçada de Calvert-Lewin, que mandou pouco acima do travessão ao mirar o ângulo direito.

A resposta do United veio dez minutos mais tarde, com Fred pegando uma sobra de escanteio, recolocando a bola dentro da área, e Martial, livre, chutando para fora ao tentar tirar do alcance de Pickford.

Superior na primeira metade do primeiro tempo, o Everton logo chegaria ao gol. Aos 19 minutos, um chutão de Pickford para o ataque foi disputado pelo alto por Calvert-Lewin e Maguire, e o atacante levou a melhor. Seu desvio de cabeça caiu nos pés de Bernard, que ajeitou para a perna direita e bateu rasteiro, no canto direito do gol de De Gea, para abrir o placar.

O tento despertou o United, que começou a mostrar maior mobilidade no ataque. Seis minutos mais tarde, viria o empate. Numa boa troca de passes coordenada pela movimentação de Mata pelo meio, Shaw recebeu pela esquerda e cruzou com precisão para a área. Bruno Fernandes apareceu cabeceando com força, longe do alcance de Pickford, para fazer 1 a 1.

O Everton logo respondeu e esteve perto de retomar a liderança no placar aos 28 minutos, mas Digne acertou a trave em sua penetração pela esquerda da área. Quatro minutos depois, o United foi mais eficiente: Rashford recebeu a bola na intermediária, abriu com Bruno Fernandes e se lançou à área para receber o cruzamento. O atacante não conseguiu o desvio de cabeça, mas a trajetória da bola de Fernandes foi boa o suficiente para vencer Pickford e colocar o United à frente.

Em um segundo tempo sem grandes chances, o momento de maior contenção aconteceu aos 15 minutos: Mata cobrou falta para dentro da área, Pickford soltou a bola, e Maguire pegou a sobra. Pressionado, tentou a finalização e mandou por cima do gol, sendo chutado pelo goleiro do Everton neste meio-tempo. A verificação do VAR poderia ter confirmado um pênalti ao United, mas identificou um empurrão do zagueiro no goleiro inglês no início da disputa.

Já nos acréscimos, com o Everton todo lançado ao ataque em busca do empate, o United aproveitou o espaço deixado para contra-atacar e matou o jogo. Fred lançou Bruno Fernandes, e o meia avançou paralelamente a Cavani, que havia entrado em campo cerca de 15 minutos antes. O português atraiu a marcação e então soltou para o uruguaio. Em sua primeira boa chance de gol desde que chegou ao United, o veterano atacante não desperdiçou e marcou seu primeiro tento pelos Red Devils, fechando o 3 a 1.

O Everton, que sofreu com a ausência de Richarlison, suspenso pela expulsão contra o Liverpool, chega agora à sua terceira derrota seguida na Premier League, e o excelente futebol praticado nas primeiras rodadas parece cada vez mais distante.

Já o United, que vinha de empate sem gols com o Chelsea e derrota por 1 a 0 para o Arsenal, se reencontra com a vitória, a terceira em sete jogos feitos no Campeonato Inglês, alcançando agora a 13ª colocação.

O triunfo dá um necessário respiro a Ole Gunnar Solskjaer, que vê atualmente seu cargo mais ameaçado do que nunca. Ainda assim, a maneira pouco inspirada como a vitória veio não deve suscitar muita confiança para o futuro próximo. No entanto, por ora, o norueguês provavelmente se dá por satisfeito com o afrouxamento da corda em seu pescoço.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo