Premier League

Brighton causa problemas ao Chelsea e arranca um merecido empate pela Premier League

O Brighton fez uma boa partida contra o Chelsea, que segue tropeçando e se distancia um pouco mais das chances de título

O Brighton é um adversário duro de se enfrentar na Premier League faz algum tempo, embora tantas vezes os resultados escapem das Gaivotas. Nesta terça, em jogo antecipado por causa do Mundial de Clubes, até dá para dizer que o time de Graham Potter poderia ter causado um problema maior ao Chelsea. Os Blues fizeram uma atuação morna e, mesmo achando o primeiro gol da noite, exibiram diferentes problemas. O empate por 1 a 1 no Estádio Amex seria merecido aos anfitriões, ainda que a falta de competência na conclusão das jogadas tenha impedido um resultado até melhor.

O começo de jogo morno do Chelsea já indicava como seria uma partida difícil. O Brighton era melhor nos primeiros minutos e até passou mais tempo em busca do campo de ataque. O primeiro sinal de vida dos Blues surgiu apenas aos 14 minutos, quanto César Azpilicueta exigiu uma boa defesa de Robert Sánchez. De qualquer maneira, os londrinos passavam longe de exibir sua esperada superioridade e as Gaivotas se sentiam confortáveis, com algumas escapadas perigosas e boa marcação.

Mesmo sem fazer por merecer, o Chelsea conseguiu o primeiro gol aos 28. Hakim Ziyech tabelou com N’Golo Kanté pela direita e chutou de fora da área. A bola passou por entre as pernas da marcação e pareceu surpreender Robert Sánchez, que não chegou a tempo para a defesa. O Brighton ainda seguiu em busca da resposta no final do primeiro tempo, com boa pressão na recuperação. Os Blues, por outro lado, só ficaram próximos do segundo aos 43, quando Mason Mount serviu e Callum Hudson-Odoi isolou.

O Brighton voltou para o segundo tempo disposto a arrancar o resultado, com muitas ações comandadas por Tariq Lamptey. Danny Welbeck aparecia algumas vezes para definir, mas sem qualidade, com muitos erros no movimento da finalização. De qualquer maneira, o gol amadurecia. Aos 14, Alexis Mac Allister chutou com desvio e exigiu uma boa defesa de Kepa Arrizabalaga, que rendeu um escanteio. E foi na cobrança que surgiu o empate, aos 15. Adam Webster encontrou um buraco no meio da área e nem saltou para a cabeçada potente, que não deu chances para o goleiro.

O jogo se abriu a partir de então. O Chelsea teria suas melhores chegadas do segundo tempo e, do outro lado, Neil Maupay vacilou na hora de tentar a virada, após ótimo passe de Lamptey. Ainda assim, a pressão pelo resultado era maior ao Chelsea e, quando Romelu Lukaku finalmente apareceu, seria barrado por Robert Sánchez. Thomas Tuchel ainda tentou dar novo gás ao time com uma substituição tripla na reta final, ao mandar a campo Timo Werner, Kai Havertz e Mateo Kovacic. Os londrinos tentaram mandar a bola na área, sem muitas chances reais. Na melhor delas, o chute de Werner seria desviado na pequena área.

O Chelsea estaciona na terceira posição, com 44 pontos conquistados. A diferença em relação ao Manchester City permanece em 12 pontos, e com um jogo a menos para os líderes. O título virou utopia ao time que só venceu um dos últimos sete compromissos. Já o Brighton dá sequência a uma campanha digna. As Gaivotas estão em nono, com 29 pontos, mas jogos a mais que a maioria dos concorrentes. Apesar dos muitos empates, é o quarto time que menos perdeu nesta campanha, com apenas quatro derrotas.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo