Premier League

Após 0 x 9, jogadores do Southampton doarão parte do salário para uma instituição de caridade

O fim de semana do Southampton não foi dos melhores. Dois dias remoendo a goleada sofrida contra o Leicester por 9 a 0, a maior da história da Premier League ao lado de Manchester United x Ipswich em 1995. A semana começou e está na hora de levantar a cabeça e seguir em frente, e a primeira medida, anunciada ainda no domingo, foi anunciar a doação do salário dos jogadores e da comissão técnica, equivalente à última sexta-feira, para uma instituição de caridade.

[foo_related_posts]

Claro que existe um viés publicitário na doação, uma maneira de mudar a história para algo um pouco mais positivo, mas o gesto é bacana mesmo assim. O dinheiro será repassado à Saints Foundation, instituição ligada ao clube que trabalha com 12.000 jovens e adultos de todas as idades “usando o poder e a paixão do esporte para transformar vidas”, por meio de saúde, educação e capacitação de emprego.

“A equipe esteve no Staplewood Campus (centro de treinamento do Southampton) durante o fim de semana, trabalhando para consertar as coisas com os torcedores. Em um primeiro passo nesse sentido, o grupo decidiu que deseja doar seus salários do dia do jogo do Leicester à Saints Foundations, para ajudar o trabalho vital conduzido pela instituição de caridade”, informou o clube, em uma nota publicada em seu site.

O treinador Ralph Hasenhüttl assumiu total responsabilidade pelo que aconteceu. “Um desempenho, muito, muito ruim. Agora, precisamos imediatamente tentar levantar nossas cabeças. Estamos para baixo. Uma coisa que devo dizer é que os torcedores que ficaram até o fim, porque não foi fácil ver este jogo para qualquer um associado ao Southampton, preciso agradecê-los, porque foram fantásticos. Tentaram nos apoiar até o fim. Isso não foi fácil”, disse.

Como miséria pouca é bobagem, os próximos dois jogos do Southampton, pela Copa da Liga, nesta terça-feira, e no fim de semana, pela Premier League, são contra o Manchester City, fora de casa. “Precisamos saber que, quando jogamos assim, não temos chance de ficar na liga, isso é certo. Todos sabem disso. Agora, depende de nós tentar encontrar uma maneira de melhorar”, encerrou Hasenhüttl.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo