Premier League

A carreira marcante de Ugo Ehiogu, técnico do Tottenham sub-23 que faleceu aos 44 anos

Uma triste notícia ganhou as páginas do noticiário esportivo inglês nesta sexta. O ex-zagueiro Ugo Ehiogu, de 44 anos, faleceu em consequência de um ataque cardíaco. O veterano trabalhava como técnico da equipe sub-23 do Tottenham e se sentiu mal quando estava no centro de treinamentos do clube, na quinta. Após receber os primeiros socorros no local, o inglês foi encaminhado ao hospital, mas não resistiu e veio a óbito horas depois. Vários clubes e personalidades manifestaram a consternação pela perda do jogador, nome marcante no Campeonato Inglês durante as décadas de 1990 e 2000, inclusive com uma breve passagem pela seleção inglesa.

VEJA TAMBÉM: A expansão no número de estrangeiros na Premier League desde 1992

Nascido na região de Londres, Ehiogu começou a carreira no West Bromwich, mas logo atraiu o interesse do Aston Villa. Em agosto de 1991, o técnico Ron Atkinson fechou a contratação do prodígio de 18 anos, que não demorou a ganhar espaço no Villa Park. A partir de 1993/94, temporada em que levou a Copa da Liga Inglesa, se tornou mais frequente no time, formando célebre parceria com Paul McGrath, e chegaria às seleções de base. Em 1993, atuando pela sub-21, o defensor se tornou o primeiro negro a vestir a braçadeira na equipe nacional inglesa.

Titular absoluto nos Villans, viveu seu melhor momento em 1995/96. Naquela temporada, o time treinado por Brian Little conquistou a Copa da Liga Inglesa, terminou na quarta colocação da Premier League e foi semifinalista da Copa da Inglaterra. O zagueiro também fez sua estreia pela seleção principal em maio de 1996, em amistoso contra a China, mas acabou de fora da Eurocopa realizada no país semanas depois. Naqueles tempos, o Villa era frequentador da metade de cima da tabela, quase sempre se classificando à Copa da Uefa. Já em 2000, em seus últimos meses no clube de Birmingham, chegou ao vice-campeonato da Copa da Inglaterra, derrotado pelo Chelsea na final.

ehiogu2

Ehiogu superou as 300 partidas pelo Aston Villa, deixando o clube na temporada 2000/01. Assinou com o Middlesbrough por £10,4 milhões, tornando-se a maior contratação do clube até então. Ainda hoje, o zagueiro é o quarto reforço mais caro já levado pelo Boro. Em período de destaque dos alvirrubros na elite do futebol inglês, o defensor logo ganhou a preferência da torcida e voltou à seleção inglesa. Foi titular na primeira partida sob as ordens de Sven-Goran Eriksson e marcou um dos gols na vitória por 3 a 0 sobre a Espanha.

Contudo, as aparições de Ehiogu nos Three Lions foram esporádicas, disputando apenas mais dois jogos. Além disso, passou a lidar com as recorrentes lesões. Ainda assim, esteve em campo em Wembley na decisão da Copa da Liga de 2004, dando sua contribuição ao maior título da história do Middlesbrough. Compunha a zaga com Gareth Southgate, seu ex-parceiro no Villa. A equipe treinada por Steve McClaren também contava com Juninho Paulista, Mark Schwarzer, Gaizka Mendieta, Boudewjin Zenden e outros nomes importantes da história do Boro. Venceram o Bolton na final por 2 a 1.

Sem emendar grande sequência de jogos em seus últimos anos, Ehiogu deixou o Middlesbrough em 2006/07. A partir de então, iniciou uma peregrinação até pendurar as chuteiras. Passou por Leeds United, Glasgow Rangers e Sheffield United. O melhor momento veio em um clássico contra o Celtic, quando anotou um golaço de bicicleta. A pintura acabou eleita como o gol mais bonito da temporada do Rangers. Encerrou a carreira em 2009, embora tenha retornado rapidamente em 2012, integrando o Wembley FC. O pequeno clube amador levou vários veteranos para disputar a Copa da Inglaterra, caindo ainda nas primeiras etapas da competição.

ehiogu

Após a aposentadoria, Ehiogu trabalhou como assistente nas seleções de base da Inglaterra e no Tottenham, até completar sua formação como treinador. Assumiu o time sub-21 dos Spurs em julho de 2014, em elenco cujo limite de idade foi modificado pouco depois. Por lá, teve contato constante com Mauricio Pochettino e também com os jogadores do primeiro time. Era visto como um técnico de bastante futuro. “Ugo era um homem adorável e tínhamos uma boa relação desde o dia em que nos conhecemos. Ele sempre nos ajudou muito. É uma perda muito grande pessoalmente e para toda a família do Tottenham”, declarou Pochettino.

Já em seu site, o Tottenham homenageou Ehiogu com belas palavras: “Nos últimos três anos, Ugo desempenhou um papel fundamental no desenvolvimento de nossos jogadores, com entusiasmo e sem egoísmo. Em nenhuma vez ele se gabou de sua brilhante carreira como jogador. Trabalhando em um nível diferente ao qual jogou e se destacou, Ugo teve a máxima humildade, foi um bom ouvinte e teve orgulho em ajudar cada jogador a melhorar. Ele ficou conectado aos seus jogadores semana após semana, independentemente dos resultados e, quando chegava a hora de ir para casa, ele permanecia no clube para transmitir sua experiência aos mais jovens”. Ficam as lembranças.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo