InglaterraPremier League

Nem foi uma vitória tão impressionante, mas a intensidade do Liverpool animou

O placar está longe de impressionar, o adversário não era dos mais temíveis e existiram momentos de sufoco. Por mais que pareça simples, porém, a vitória do Liverpool sobre o Sunderland por 1 a 0 pode significar bastante nesta reta final de temporada. Sobretudo, pela forma como os Reds se portaram em campo no Stadium of Light. Não havia o vendido Luis Suárez, o lesionado Daniel Sturridge ou Raheem Sterling, que ganhou tempo para tirar uma folga na Jamaica. Ainda assim, a equipe de Brendan Rodgers demonstrou a intensidade que lembrou seus melhores momentos na última temporada, como tinha sido na recente goleada sobre o Swansea.

A própria escalação do Liverpool previa um time bastante leve. Em uma formação com três defensores e Steven Gerrard mais avançado, os Reds contaram com Lazar Markovic, Jordan Henderson, Philippe Coutinho, Alberto Moreno e Fabio Borini do meio para frente. Muita velocidade para dificultar a vida da defesa do Sunderland e que deu resultado, com o gol saindo logo aos nove minutos da partida.

Escalado na ala direita, Lazar Markovic teve sua melhor atuação desde que chegou à Inglaterra. O sérvio participou de toda a construção do gol da vitória, aproveitando os espaços abertos por Gerrard e Borini pelo lado direito. Também quase marcou uma pintura, em chute de fora da área que explodiu no travessão. E ajudou a ditar a velocidade da equipe junto com Coutinho, que infernizava os alvirrubros pela esquerda. Jogando ainda melhor desde que anunciou sua saída para o Los Angeles Galaxy, Gerrard também fez bom primeiro tempo, mas acabou substituído no intervalo.

Obviamente, o Liverpool também teve os seus problemas. No comando do ataque, Borini ajudou demais na mobilidade da equipe, embora não mostre exatamente o faro de gol para resolver as partidas. Mas, enquanto Sturridge seguir fora, se mostra como opção viável. Já o meio-campo suportou bem a pressão do Sunderland, especialmente na reta final da partida. De volta à melhor forma, Lucas Leiva esteve mais uma vez entre os melhores em campo.

A vitória ainda deixa o Liverpool distante em seus objetivos. Na oitava posição, o clube precisa contar com os tropeços dos times a sua frente para se manter a pelo menos quatro pontos da zona de classificação para a Liga dos Campeões. De qualquer forma, crescer neste momento é importantíssimo. Especialmente apresentando um futebol convincente, que faça a torcida ter esperanças de que a temporada não está perdida.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo