InglaterraPremier League

Klopp: “Honestamente, fiquei preocupado com a anulação da Premier League”

O Liverpool, enfim, pode se sentir próximo da conquista da Premier League novamente. Por mais que a quebra do jejum esteja encaminhada pelos Reds há tempos, havia um risco de que a paralisação da Premier League frustrasse os planos. A anulação da competição esteve na pauta, assim como uma antecipação do término nos bastidores. No fim das contas, a equipe de Jürgen Klopp ainda poderá ter o gosto de selar a taça dentro de campo – embora haja o ônus de fazer isso sem aqueles que mais esperaram por este prêmio, os torcedores.

Antes do clássico contra o Everton, neste domingo, Klopp confessou que temeu o final antecipado. A anulação da campanha era uma preocupação óbvia, por mais que o técnico também não desejasse o título por média de pontos. Os Reds podem abrir uma vantagem de até 25 pontos sobre o Manchester City nesta rodada. Se isso acontecer, com uma derrota dos celestes para o Burnley na segunda-feira, a conquista estará matematicamente assegurada – com outras oito partidas restantes por time.

“Honestamente, fiquei preocupado com a anulação da temporada. Quando entramos em quarentena, não pensei nisso por um segundo, porque não era importante naquele momento. Fiquei preocupado quando as pessoas começaram a falar sobre a anulação e o cancelamento do campeonato. Era como ‘uau’! Eu realmente senti isso fisicamente. Seria muito, muito duro”, declarou Klopp, nesta sexta-feira.

“Você não espera ganhar de presente. Não queríamos ser campeões pela média de pontos, então ficamos realmente felizes quando foi decidido que poderíamos jogar novamente. Com as longas discussões, as pessoas falavam sobre isso comigo de tempos em tempos, por diferentes razões. Quando foi tirado da mesa, fiquei bastante aliviado. Se o final fosse antecipado, provavelmente seríamos campeões agora, mas não somos e temos que jogar por isso. É ótimo, assim que deve acontecer no esporte e tentaremos confirmar em campo”, complementou.

O treinador do Liverpool também falou sobre a diferença na atmosfera dos estádios, especialmente considerando que o retorno acontece com o clássico diante do Everton. Segundo o alemão, os Reds realizaram uma preparação específica para lidar mentalmente com a situação, sobretudo diante da exigência de um foco maior.

“Será um ambiente diferente, mas não podemos mudar isso. Temos que usar as circunstâncias e não sofrer com elas. Há um jogo entre Everton e Liverpool, que ainda é um dérbi e tem sua importância às suas equipes por diferentes razões. É isso que estamos esperando. Tentamos nos acostumar com as circunstâncias durante os treinos, nas quatro últimas semanas, jogando um amistoso contra o Blackburn e duas partidas internas. Parecia futebol e isso é muito importante”, analisou.

De qualquer forma, Klopp aguarda o momento em que os torcedores poderão reocupar as arquibancadas – especialmente para celebrar os possíveis campeões, 30 anos depois de seu último título inglês: “Não é a situação perfeita, mas é o melhor possível. Não sentirei falta dos torcedores durante o jogo porque já sei que eles não estarão lá. Mas estou realmente ansioso para o momento em que a torcida voltará”.

Por fim, Klopp elogiou os jogadores pelas iniciativas solidárias realizadas nesta pandemia. Relembrou o ato de Jordan Henderson e James Milner, que lideraram uma campanha entre os jogadores na criação de um fundo de apoio ao sistema público de saúde. Além disso, também comentou a ação de Marcus Rashford, que levou o governo britânico a garantir alimentação gratuita às crianças durante as férias escolares.

“O que Hendo e os jogadores fizeram durante a paralisação, tenho muito orgulho deles, mas não fiquei surpreso porque sei que os jogadores fazem muitas coisas sem realmente falar sobre isso. É o que me deixa orgulhoso, então não fiquei surpreso que eles estivessem imediatamente prontos para ajudar neste momento difícil. E então, com o que Marcus Rashford fez, não poderia respeitá-lo mais. É incrível. É uma pena que ele precisou fazer algo que deveria ser natural, mas havia um motivo para lutar e ele cumpriu seu objetivo de maneira inacreditável. Foi fantástico”, pontuou Klopp.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.