InglaterraPremier League

Chelsea arrasa Man Utd, enaltece Conte e põe pressão em Mourinho

Um dos grandes clássicos recentes da Inglaterra teve só um time jogando bem em campo. O Chelsea arrasou o Manchester United no Stamford Bridge, no dia que o ex-técnico da equipe, José Mourinho, voltou ao local onde foi ídolo durante anos. Os 4 a 0 ficaram até baratos, considerando que o time visitante pouco fez em campo. Praticamente nada se salvou no time vermelho, que vive agora uma enorme pressão. O técnico Antonio Conte, por sua vez, também vinha pressionado, mas o resultado dá um grande alívio ao italiano.

LEIA TAMBÉM: Gary Neville: “Não há motivos para não confiar em Mourinho”

O que se viu em campo foi muito claro: o time de Mourinho mal foi um time. Tomou um gol cedo demais, é verdade, aos 36 segundos com Pedro, em uma bobeada de Daley Blind. Foi só o prenúncio, porque Blind foi mal no jogo, o Chelsea continuou dominando nos minutos seguintes e o placar de 2 a 0 veio com tranquilidade – e alguma sorte – depois de um escanteio que teve desvio na primeira trave e gol de Gary Cahill no meio da área.

A situação não melhorou depois do intervalo, mesmo com a mudança que o United fez, tirando Fellaini e colocando Mata, um jogador de criatividade. O Chelsea arrancou o 3 a 0 com um golaço. Nemanja Matic tocou para Eden Hazard, que já fazia grande partida atuando com liberdade pelo meio, para driblar a zaga do United e finalizar no canto, vencendo o goleiro David De Gea, aos 17 minutos.

O que era um placar clássico virou goleada aos 25 minutos. E o gol veio de uma raridade: N’Golo Kanté, que recebeu a bola de Pedro, aparecendo como surpresa no ataque, driblou Smalling e, frente a frente com De Gea, tocou no canto. Os 4 a 0 fizeram a torcida do Chelsea ir ao delírio tirando um barato de José Mourinho. Cantavam “Você será demitido amanhã de manhã”, um grito bastante comum na Inglaterra quando um técnico está pressionado – algo que Mourinho viveu no próprio Chelsea quando foi demitido em 2015.

Antonio Conte apostou na sua própria convicção para melhorar a situação do Chelsea. O time joga atualmente em um 3-4-2-1. Com este esquema, o espanhol César Azpilicueta virou zagueiro pela direita, ao lado de David Luiz e Cahill. Marcos Alonso entrou como ala pela esquerda, com Victor Moses, um meia-atacante, virou ala pela direita. Algo que Conte já fez outras vezes em seus times.

Pressionado, Conte mudou o esquema e vem conseguindo resultados (AP Photo/Kirsty Wigglesworth)
Pressionado, Conte mudou o esquema e vem conseguindo resultados (AP Photo/Kirsty Wigglesworth)

Com o novo esquema, Hazard ganhou mais liberdade e Pedro virou mais atacante ao lado de Diego Costa. O time rendeu mais e, em três partidas, nove gols marcados e nenhum sofrido. A defesa, que vinha sendo um problema até então do time azul de Londres, parece muito melhor. É uma formação flexível, uma vez que sem mexer no time o técnico pode mudar o esquema tático.

Mourinho só venceu em nove dos últimos 28 jogos da Premier League, contando este início de trabalho no Manchester United e seus últimos jogos pelo Chelsea. O trabalho no time de Old Trafford não engrenou e o time não consegue render, mesmo tendo gastado bastante para esta temporada. Rooney, que não esteve em campo neste domingo por lesão, já tinha perdido a vaga na equipe titular. Pogba ainda segue sem render o que apresentava na Juventus. Ibrahimovic, isolado no ataque, pouco consegue fazer. O time rende pouco e a pressão é cada vez maior.

O meio de semana tem um confronto pela Copa da Liga, com o Manchester City. A competição é pouco importante, mas uma nova derrota pode ser péssima para Mourinho. E, por isso, é bem possível que vejamos mais tensão. O técnico português está na fogueira, sofrendo com as críticas dos torcedores, da imprensa e a desconfiança que paira sobre ele – o que, quase inevitavelmente, afeta também os jogadores.

Mourinho terá que mostrar seu repertório neste momento difícil, ou corre o risco de ser mais uma vez engolido pela série de maus resultados que começam a se acumular com o técnico. O tempo está passando e o futebol precisa aparecer. E os resultados também.

Na volta ao Stamford Bridge, Mourinho viu seu time ser massacrado pelo Chelsea (AP Photo/Kirsty Wigglesworth)
Na volta ao Stamford Bridge, Mourinho viu seu time ser massacrado pelo Chelsea (AP Photo/Kirsty Wigglesworth)

Enquanto isso, a tabela mostra o problema para o United. Os Diabos Vermelhos estão apenas em sétimo, uma posição bem mais baixa da expectativa criada com este time. Com 14 pontos, está a seis do Manchester City, primeiro colocado – empatado com Liverpool e Arsenal.

O Chelsea, por sua vez, comemora a boa atuação e a goleada: é o quarto colocando, deixando o Tottenham para trás, com 19 pontos – mesma pontuação dos Spurs, mas com saldo de gols melhor. A situação dos Blues já melhora em relação aos resultados que vinha tendo e os coloca de novo na briga do topo.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo