InglaterraPremier League

O Chelsea abriu o caminho para um futuro promissor

Ainda restam três rodadas para o Chelsea completar sua participação na Premier League. No entanto, os Blues já podem começar a ter certeza de uma situação melhor na próxima temporada. A vitória por 1 a 0 sobre o Manchester United, dentro de Old Trafford, é importantíssima para as ambições do clube. Afinal, mais do que antes, os londrinos só dependem de si para garantir a vaga na próxima edição da Liga dos Campeões. E não precisarão de tanto esforço quanto imaginavam.

A situação do Chelsea é bastante cômoda antes do dérbi contra o Tottenham, na próxima quarta-feira. A equipe de Rafa Benítez é a terceira colocada na tabela, com 68 pontos. Um à frente do Arsenal, que ainda tem uma partida a mais, e três à frente dos Spurs. Por mais que uma derrota em Stamford Bridge nesta semana prejudique os Blues, eles não devem perder nem mesmo a colocação na tabela, já que o saldo de gols do Tottenham é bastante inferior.

Na trajetória rumo à 11ª participação consecutiva na fase de grupos da Champions, o jogo contra o United era o maior desafio para o Chelsea. É verdade que o interesse dos Red Devils na competição não é dos maiores e que Sir Alex Ferguson escalou vários reservas. O que não significou que os Red Devils facilitaram a vida dos adversários, ótimos especialmente na compactação da defesa.

Melhor jogador do time na temporada, Juan Mata destoou com o gol da vitória, em excelente arremate. Tão fundamentais quanto o espanhol foram Oscar, Ramires e Lampard, que se combinaram muito bem no meio-campo. E a defesa também merece ganhar os devidos louros, não apenas por neutralizar Robin van Persie, como também por interromper uma série de 66 jogos dos Red Devils marcando em casa pela Premier League.

O triunfo era tudo o que os Blues precisavam, ainda mais depois que o United arrancou o empate do Arsenal na última rodada. É a tranquilidade necessária para o jogo contra o Tottenham, sem responsabilidades tão grandes assim. Nas rodadas finais, os adversários são o Aston Villa, que apesar de brigar contra o rebaixamento, vem no embalo, e o Everton, sem maiores interesses na tabela. Grandes possibilidades para os londrinos alcançarem os seis pontos que precisam e cumprirem o objetivo.

Sem grandes pressões na Premier League, o Chelsea também pode concentrar um pouco mais de suas forças na Liga Europa. O título não vai ser o maior da história do clube, ainda mais quando comparado aos feitos recentes, mas já serve para encher um pouco mais sua sala de troféus. E, com os Blues garantidos na Supercopa Europeia e na Liga dos Campeões, José Mourinho talvez tenha o terreno ideal para o seu retorno triunfante. Uma temporada que, durante boa parte foi trágica, pode abrir o caminho para um futuro resplandecente.

Formações iniciais

campinho Chelsea x United

Destaque do jogo

Juan Mata. Autor do gol que tirou o Chelsea do sufoco, o camisa 10 é a grande alternativa ofensiva do time. Arrisca bastante, cria espaços para os companheiros e se movimenta muito. Ditando o ritmo do jogo, foi quem mais tocou a bola, quem mais chutou e quem mais deu passes para finalizações. Em sua segunda temporada, tem tudo para ser eleito o craque do time na temporada pela segunda vez.

Momento-chave

A progressão de Ramires no lance do gol. De maneira limpa, o brasileiro roubou a bola de Wayne Rooney na entrada da área. O lance proporcionou o contra-ataque do Chelsea e, embora o United tenha tido a chance de afastar o perigo, a bola sobrou novamente com o brasileiro, decisivo também na definição.

O gol

41’/2T – GOL DO CHELSEA! Ramires avança até a meia-lua e rola de calcanhar para Oscar. O meia toca para Juan Mata, no bico da grande área. O camisa 10 define no capricho, rasteiro, longe do alcance de Lindegaard. A bola ainda toca a trave antes de entrar.

Curiosidade

O Manchester United havia marcado gols em suas últimas 66 partidas em Old Trafford pela Premier League. Petr Cech e companhia conseguiram interromper a marca, recorde histórico da competição.

Ficha técnica

MANCHESTER UNITED 1×0 CHELSEA

 Manchester United escudo Manchester United
Anders Lindegaard, Rafael, Jonny Evans, Nemanja Vidic e Patrice Evra; Anderson (Wayne Rooney, 23’/2T) e Phil Jones; Antonio Valencia (Chicharito Hernández, 45’/2T), Tom Cleverley (Alexander Büttner, 23’/2T) e Ryan Giggs; Robin van Persie. Técnico: Alex Ferguson.
 Chelsea_escudo Chelsea
Petr Cech, Cezar Azpilicueta, Branislav Ivanovic, David Luiz e Ashley Cole; Frank Lampard e Ramires; Victor Moses (Fernando Torres, 31/2T), Juan Mata (Nathan Ake, 45’/2T) e Oscar; Demba Ba. Técnico: Rafa Benítez.
Local: Old Trafford (Manchester-ING)
Árbitro: Howard Webb (ING)
Gols: Juan Mata, 41’/2T
Cartões amarelos: Phil Jones e Nemanja Vidic (Manchester United); David Luiz (Chelsea)
Cartões vermelhos: Rafael (Manchester United)

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo