A temporada na Itália se aproxima e há uma grande expectativa se a Juventus novamente nadará de braçada ou se terá concorrência. A Internazionale contratou Antonio Conte, ex-Juventus, Chelsea e seleção italiana, com a ambição de chegar finalmente ao patamar de concorrer com a grande rival de Turim. E para o presidente da Fifa, Gianni Infantino, torcedor da Inter, a escolha do clube de Milão foi precisa. Conte, na sua opinião, é o melhor.

“No futebol nós também precisamos de um pouco de sorte”, afirmou Arrigo Sacchi, ex-treinador que fez muito sucesso pelo Milan e pela seleção italiana. Ele deu um grande discurso nos 60 anos da Lega Pro, em Florença. “Por exemplo: se eu não tivesse enfrentado o Milan três vezes na Copa da Itália com o Parma, e não tivesse ganhado duas vezes, nada disso teria começado”, disse o antigo treinador.

Gianni Infantino estava presente. E foi bastante elogioso ao treinador. “Eu estava pensando: se você tivesse enfrentado a Inter essas três vezes, ao invés do Milan, eu teria uma infância mais feliz”, brincou o presidente da Fifa, conhecido torcedor da Internazionale. Embora nascido na Suíça, em Brig, Infantino é filho de imigrantes italianos.

O presidente da Fifa também elogiou o discurso de Sacchi. “Um discurso extraordinário, uma aula. Ouçam Sacchi, ele é incrível, façam o que ele diz e os resultados não faltarão. Se eu pudesse, eu sempre o teria por perto na Fifa”, disse ainda Infantino.

“Eu nem conto mais os títulos italianos da Juve, estão dominando com méritos. Mas agora a Inter contratou Conte, o melhor que há, e quem sabe um juventino salve a Inter”, brincou dirigente da Fifa. “No tempo de Sacchi, as convicções do técnico eram combinadas perfeitamente com a estratégia do Milan, o técnico não é suficiente, o clube é importante”.

Um outro assunto comentado por Infantino foi sobre os investimentos da Fifa. “É importante investir no futebol, além de regras claras e certas. Estamos trabalhando para isso, para permitir também o foco nos jovens. Para isso, precisamos saber que a Fifa trabalhará na transparência das competições”, disse o dirigente.

O ítalo-suíço também comentou sobre a Copa do Mundo Feminina. “Foi ótimo, o futebol feminino é um dos grandes desafios para o futuro. O mundo marcou um antes e um depois, mostrando que esse esporte não é uma cópia ruim do masculino, ele é sério, com talento e admirável técnica e fisicamente. As meninas não simulam quando levam uma falta, levantam de novo… Agora cabe a nós continuar construindo a paixão de quase um bilhão de pessoas que acompanharam esse evento”.

A Serie A, o Campeonato Italiano, começa no dia 24 de agosto e vai até o dia 24 de maio.