O torcedor do Arsenal talvez tenha tido dificuldade para acreditar que aquele Serge Gnabry era o mesmo que havia passado cinco anos nos Gunners, entre base e time principal. Mas isso apenas se ele não acompanhou a evolução do jogador desde sua saída da Inglaterra. Atualmente, trata-se de um dos pontas mais insinuantes do futebol europeu, como ficou provado, nesta terça-feira, no retorno triunfante de Gnabry ao norte de Londres. Marcou quatro vezes no Tottenham Stadium e contribuiu para a vexatória derrota por 7 x 2 do time da casa.

Gnabry já falou sobre sua passagem pelo Arsenal. Saiu do Stuttgart, aos 16 anos, para trabalhar com Arsène Wenger, famoso pela sua capacidade para desenvolver jovens. Não deu muito certo. Disputou apenas 18 jogos pelo time principal e marcou um gol – fora de casa -, o que significa que a noite desta terça-feira foi a primeira vez em que ele colocou a bola nas redes no norte da capital inglesa.

Em 2016, retornou à Alemanha para defender o Werder Bremen, em busca de mais tempo em campo. Brilhou, foi contratado pelo Bayern de Munique e teve mais uma boa campanha, emprestado ao Hoffenheim. Foi usado pelos bávaros na última temporada e se tornou um dos melhores jogadores do time.

Havia feito apenas um gol nesta temporada, no último fim de semana, contra o Paderborn, quando entrou em campo no Tottenham Stadium para encarar o antigo rival. Era uma chance para o time da casa conseguir uma vitória taxativa para tentar deixar para trás um começo de temporada muito instável, e o começo foi muito bom. Com velocidade e objetividade nas transições, os Spurs chegavam com facilidade à área do Bayern e obrigaram Neuer a fazer uma série de defesas, até Son abrir o placar, aos 12 minutos.

Não deu tempo nem de comemorar porque Kimmich acertou um chutaço para empatar, logo em seguida, e o Bayern cresceu na partida. No apagar das luzes do primeiro tempo, Lewandowski pegou a sobra da entrada da área e virou a partida. Depois do intervalo, tudo mudou em questão de três minutos. Primeiro, Gnabry recebeu pela lateral esquerda, driblou Aurier com um toque e saiu em diagonal até entrar na área. Limpou Alderweireld sem problemas e bateu no canto.

Isso foi aos oito minutos. Aos 10, Tolisso roubou a bola na intermediária ofensiva e rolou à esquerda, onde estava Gnabry pronto para marcar com um chute cruzado e rasteiro. A goleada começou a ser desenhada. O Tottenham descontou, com Harry Kane cobrando pênalti, mas Gnabry estava endiabrado. Thiago deu um lindo lançamento do campo de defesa para o ponta alemão, que dominou com perfeição, deu mais um toque na bola para entrar na área e apenas escolheu o canto para completar a sua tripleta.

Depois do quinto gol, o Tottenham pareceu abrir mão da partida e permitiu que a goleada virasse humilhação. Mais um erro na saída de bola permitiu o contra-ataque do Bayern, Coutinho tocou de lado e Lewandowski fez o sexto. Um minuto depois, Gnabry coroou sua noite com uma batida cruzada de fora da área.

Quatro gols. Seus primeiros pela Champions League, em uma noite que o crescimento do seu futebol já estava fazendo por merecer. E o fato de ela ter acontecido no norte de Londres, onde ele sofreu para conseguir jogar apenas alguns anos atrás, torna-a ainda mais especial.

.

.

.

.

.

Classificações Sofascore Resultados